basquete

Miami Heat: realidade ou fumaça?

Olá queridos leitores do Major Blog Sports. Neste texto faremos um pequeno contexto histórico e falaremos sobre o que vem acontecendo com o time de Miami nas últimas semanas.

O time viveu tempos áureos enquanto Wade e Lebron estiveram por lá. Finais e títulos por temporadas consecutivas, mas todos sabiam que um dia Lebron iria embora (2010 – 2014) e que o Wade (2003 – 2016) já não era o mesmo jogador de outros tempos, inclusive por causa dos seus joelhos. O rebuild era eminente. O time se distanciou dos playoffs e novos jogadores chegaram com a missão de colocar a franquia de volta ao rumo das vitórias e dos playoffs.

dwaine

No meio da temporada de 14 – 15, o esloveno Goran Dragic chegou com a missão de ser o armador do time, após mostrar um bom basquete e bons números pelos Suns (12 pontos, 4,5 assistências, 3 rebotes, 36% FG 3 pontos e 51,4% de FG de médias). Por um tempo se pensou que Dragic seria uma das engrenagens para mudar o time de patamar, mas o tempo, imutável senhor das coisas, fez com que o Dragic se tornasse campeão europeu com a sua seleção, sendo o MVP da competição e hoje é o principal e maior pontuador do Heat na temporada. Até o momento ele possui médias de 18,6 pontos, 4,6 assistências e 4,1 rebotes. É um jogador que faz o time jogar e ainda é letal no perímetro, com um aproveitamento de 40,9%.

dragic

A segunda peça dessa engrenagem é o Hassan Whiteside, cara responsável por proteger o aro na defesa (1,6 blk’s de média) e ainda assim, contribuir com 14,9 pontos no ataque e pegar 12,7 rebotes de média na temporada. Ter um cara atlético como o Whiteside além de ajudar demais na tábua defensiva (o time possuí a quinta melhor defesa da liga cedendo 102,3 pontos por jogo), proporciona um leque maior de opções ofensivas no ataque, seja via pick and roll, jogando de costas para cesta e com opção de ir para dentro e abrir espaço para o pessoal do perímetro.

Outra peça chave desta engrenagem é o marrento e mala do Dion Waiters. Ele é o scorer do time, o cara dos arremessos quando a porca torce o rabo. O cara é meio bipolar, sendo capaz de noites com mais de 30 pontos e cestas mágicas e no jogo seguinte não fazer nada. Na temporada passada foi importantíssimo na sequência de vitórias e provavelmente ajudaria o time a ir para os playoffs, mas uma contusão fez com que a temporada dele terminasse mais cedo, assim como um possível ida aos playoffs. Por isso, a diretoria resolveu renovar o contrato por 4 anos e pagar a bagatela de US$ 52.000.000,00. Na atual temporada ele possuí médias de 15.7 pontos, 3,6 assistências e 2,8 rebotes.

Josh Richardson, James Johnson, Tyler Johnson, Justise Winslow, Kelly Olynyk, Wayne Ellington completam o time e a rotação, contribuindo com + de 19 minutos jogados e mais de 8 pontos de média na temporada.

O time é dirigido pelo questionado Erik Spoelstra. A mídia e os torcedores questionavam o playbook, a falta de jogadas e a forma com a qual ele administrava os egos do time que chegou a 4 finais consecutivas, sendo campeão duas vezes. Com o rebuild, alguns desses críticos e haters estão torcendo o nariz e a língua. O time fez boas escolhas nos drafts (Bam, Winslow, Richardson), tem um clima mais tranquilo para que o mesmo possa trabalhar e uma cobrança menor sem as estrelas que formaram o Big Three. O time possui um bom padrão defensivo, pois tem uma marcação forte no perímetro e um excelente protetor de aro. O que podemos considerar como um ponto fraco dessa defesa é o Waiters, por ser um jogador preguiçoso e as vezes “relapso”.

Os frutos das boas decisões começam a ser colhidos. O time não teve um bom começo de campeonato, mas nos últimos seis jogos, possui um recorde de 4 vitórias e 2 derrotas, incluindo uma vitória em cima do Boston Celtics, que encerrou o ciclo de 16 vitórias consecutivas e outra inquestionável sobre os Timberwolves (Seguem os vídeos com os melhores momentos desses dois jogos). No campeonato o time possui uma campanha de (10 – 10), dividindo a nona colocação na conferência leste, com o Knicks.

Eu não creio que o time tenha vida fácil na temporada regular, principalmente por causa do ataque, que anota apenas 100,7 pontos por jogo e é apenas o número 22 da liga, mas diferentemente do ano passado, nesta temporada o time deverá chegar aos playoffs.

spoelstra

Nesta semana o time enfrenta os Knicks em NY e volta para Miami para jogar contra Hornets e Warriors. Bons testes para que possamos assistir e avaliar a real condição do Heat neste momento da temporada.

Para você que leu o texto, compartilhe, deixe os seus comentários e nos diga o que achou.

Um abraço.

 

Paulo “TeclasNaVeia” Côrreia para o blog Major Sports

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s