baseball

Notícias da Japolândia – RedSox Vs Yankees???

Caro leitor do Major Sports Blog, imagine uma rivalidade que transcende o esporte… uma rivalidade que se manifesta a cada encontro, com ingressos esgotados e cartazes especiais… uma cidade moderna, global, inovadora, cosmopolita e outra mais tradicionalista, conservadora… “trash talk” das torcidas a cada encontro… cada vitória comemorada como se fosse um título… o time mais vencedor da história contra o time da torcida mais fanática e que lota o estádio em todos os jogos… um estádio muito moderno de um lado e o estádio antigo, mas muito charmoso e tradicional do outro lado… um time muito rico e poderoso e outro que viveu com uma maldição…

Para os amantes do Baseball mundial, essas características significam só uma coisa: Red Sox versus Yankees, Boston versus Nova York… certo?

Errado!

Estou falando aqui da maior rivalidade do Baseball japonês! Estou falando de Tokyo versus Osaka, estou falando de Yomiuri Giants versus Hanshin Tigers!

Sim, essa rivalidade muito se assemelha com a existente na terra do Tio Sam e contarei um pouco mais das semelhanças, as particularidades, peculiaridades e da beleza dessa rivalidade do outro lado do mundo.

A rivalidade começou não por uma questão envolvendo jogadores, um Babe Ruth japonês, mas sim, porque foram 2 dos primeiros clubes de baseball da história japonesa, o Giants nasceu em 1934 e o Tigers em 1935.

Ao longo dos anos que se sucederam, os times foram travando muitos duelos decisivos o que tornou a rivalidade cada vez maior. Com a criação das duas grandes ligas Japonesas, a Central e a Pacífico, e com ambos posicionados na Liga Central disputando o titulo e a classificação à Climax Series todos os anos (assim como ocorre com Red Sox e Yankees que disputam o título da mesma divisão todos os anos) a rivalidade chegou a níveis ainda maiores.

Para se ter uma ideia, os ingressos para alguma das 5 séries que ocorrem no Koshien Stadium durante a temporada regular se esgotam com muitas semanas de antecedência e o evento é amplamente divulgado nas mídias esportivas como um evento de Copa do Mundo. É possível ver cartazes fazendo referência ao jogo nos trens e metrôs da região de Kansai promovendo os duelos.

cartaz hanshin x Kyojin - MetroCartaz de divulgação da série no metrô de Osaka

É o único confronto da temporada regular que torna o Tokyo Dome em um caldeirão ensurdecedor. Muito mais representativo que uma partida dos “Kyôjin” (Gigantes em Japonês) contra os rivais de cidade, o Yakult Swallows. A torcida do time da região de Kansai invade Tokyo e incendeia a torcida dos Kyôjin, tornando o espetáculo algo lindo! Em alguns casos a invasão é tão grande que parece que o time dos Tigers joga em Osaka e não em Tokyo!!

E é aqui que começo a contar um pouco das semelhanças entre os dois times, que vão além dessa rivalidade histórica. Para se ter uma idéia, apesar da referência na criação do time de Tokyo ser o NY Giants (atual San Francisco Giants) até mesmo o simbolo do boné do Yomiuri Giants faz referência ao NY dos Yankees =)… Obviamente é uma brincadeira, pois, o boné dos Giants quando em NY também exibiam o famoso NY que hoje ostentam Yankees e Mets

Cidades

Como já citado anteriormente, as semelhanças com os times americanos são grandes até mesmo nas cidades sedes dos times.

New York é uma cidade do mundo, umas das várias capitais que o mundo possui e recebe muitos turistas a cada dia. Assim também é Tokyo. Uma cidade que não dorme, que possui um ritmo frenético de vida, com muitas luzes. É normal andar por Tokyo e ouvir outros idiomas.

Um exemplo para comparar as semelhanças entre Tokyo e NY são a Times Square e o cruzamento de Shibuya, onde fica a estação de trem com a famosa estatua do cão Hachiko. Ali existem muitos painéis de led espalhados pelos prédios e vitrines além de muita gente e um trânsito caótico.

shibuya-center-townAcima Shibuya e abaixo a Times Square… Não se perca… =)times-square-nova-york

Por outro lado, Boston é uma cidade mais pacata, conservadora, com fortes raízes dos colonizadores britânicos, sobretudo os irlandeses, e porque não tradicionalista. Da mesma forma Osaka, uma cidade que mantém a tradição na sua culinária, cultura e até mesmo na sua forma de vestir. É comum ver em Osaka alguma senhora de Kimono no trem ou no metrô. A diferença entre Boston e Osaka é que a cidade japonesa é moderníssima como são todas as grandes cidades do Japão, enquanto Boston não se modernizou da mesma forma, tanto que ainda é possível ver nas regiões mais afastadas do centro, velhos galpões e casas em estilo ainda irlandeses, preservando uma tradição e beleza incríveis..

Títulos

Aqui a semelhança com a rivalidade da MLB é enorme.

O Giants é o maior vencedor de títulos disparadamente, são 22 títulos contra 5 títulos dos Tigers, sendo somente 1 desses, em 1985, na era da Nippon Series, ou seja 35 anos de espera para vencer o primeiro e desde então uma maldição paira sobre Osaka. Notou a semelhança?

Alguns fatos curiosos: entre 1965 e 1973 o Giants venceu 9 títulos consecutivos, maior serie da historia, e fez com que os títulos do time ganhassem o significado de “sucesso financeiro”, pois, essa sequência ocorreu no exato momento em que o Japão vivia o seu maior crescimento econômico se transformando na potencia mundial que é hoje.

A segunda maior sequência de títulos pertence a 3 times: ao próprio Yomiuri Giants (1x), ao Seibu Lions (3x sendo 1 delas quando ainda era o Nishitetsu Lions) e ao Orix Bufalloes (1x quando ainda era o Hankyu Braves).

Estádios

O Koshien Stadium é o estádio mais antigo do país e é considerado o Fenway Park Japonês, o estádio mais tradicional, construído em 1924, um dos últimos 3 com gramado natural e o único que ainda preserva o infield totalmente em terra. Mas há uma explicação para essa peculiaridade do gramado: o Koshien sedia anualmente os torneios de primavera e verão dos colégios japoneses o Natsu no Koshien e por uma regra internacional para categorias inferiores o infield não pode ter grama.

Koshien panoramica

Já o Tokyo Dome, apesar de não ser o mais moderno e novo (e porque não de dimensões questionáveis no outfield) como o novo Yankee Stadium, é talvez uma das mais confortáveis arenas japonesas e ainda que construída em 1988 continua muito moderna. É a principal arena japonesa e com certeza estará nos jogos olímpicos de Tokyo em 2020. Já sediou etapas do Pride (extinto torneio de MMA), é sede do WBC e recentemente recebeu o Asia Professional Baseball Championship 2017 vencido pelo Japão.

Tokyo Giants Stadium Panorama

Torcida

As torcidas são casos a parte. No Japão, as torcidas de todos os times são muito  barulhentas, cantam do início ao fim do jogo e não é diferente para os dois times. Mas aí vem a pergunta: Então não tem comparação com a torcida dos Yankees, certo?

Errado!

giants torcida

Obviamente existe a parte fanática sim que é muito diferente da torcida dos Yankees, pois, canta o jogo todo também, mas um fenômeno semelhante ao que acontece com o famoso time da Big Apple é que por conta do sucesso do passado, acabou se tornando uma grife.

Existem muitos turistas que visitam o Japão e levam como lembrança de Tokyo uma camisa ou um boné dos Giants. Além disso, um final de semana no Tokyo Dome é um passeio para turistas (e é muito divertido!) onde os souvenires dos Giants é um presente fácil de comprar.

Tokyo-dome-city.jpgSim! Existem um parque de diversão ao lado da arena (com uma ótima montanha russa que vai mais alto que o estádio) e o complexo se chama Tokyo Dome City!

Agora, já a torcida dos Tigers é tão ou até mais fanática quando a comparamos com a torcida dos Red Sox.

hanshin-tigers-osaka-japan-by-max-1500x844

Vou citar alguns exemplos: No título de 1985, o único desde a instituição da Nippon Series em 1950, torcedores se jogaram no então poluído canal Dotonbori para celebrar o título… algo parecido com os “co-irmãos” que no fim da maldição do Bambino em 2004,  se jogaram no gelado Charles River que corta a cidade de Boston para comemorar o título. Houve relatos até mesmo de “sequestro” de um trem na comemoração em Osaka tamanha a empolgação da torcida.

hanshin_fan

Outro fato curioso da torcida acontece no intervalo da 7.ª entrada: no Fenway Park, diferentemente de outros estádios da MLB, se canta a famosa Sweet Caroline (nos demais estádios normalmente se canta a tradicional “Take me Out to the Ballpark”) e no Koshien a torcida faz a famosa e tradicional festa de balões (copiado pela torcida do Hiroshima Carps) após cantar uma música especial para o intervalo, uma experiência ímpar que a torcida realiza em todos os jogos e estádios da NPB… menos em 1 deles: No Tokyo Dome a organização não permite que os balões sejam inflados e lançados ao ar ao final da música. Seria uma forma de evitar a invasão Amarela, Branca e Preta?

A torcida também é conhecida pela sua “truculência” contra os adversários, especialmente se for dos Giants. Já foram registradas várias ocorrências em jogos contra o Giants, como arremesso de baterias de telefones celulares e até mesmo esferas de metal de Pachinko (uma especie de “Casino” japonês), mas nunca foi registrada uma batalha campal como normalmente vemos nos jogos de futebol.

Outra semelhança da torcida dos Tigers com a dos Red Sox é que os jogos no Koshien sempre lotam, com ingressos esgotados quase que todos os jogos em casa e as vezes até em maior número que a torcida da casa quando o time é visitante.

Outras curiosidades e semelhanças…

Império do Mal

E aqui acho até que o time de Tokyo é mais odiado por outros torcedores que o time de NY. E são vários motivos…

O principal deles é que o time pertence ao maior conglomerado de comunicações japonês: o Yomiuri Shimbun.

yomiuri-shimbun

O grupo é tão rico e poderoso que além do Giants também era proprietário do finado Yomiuri Verdy Kawasaki (Primeiro time campeão da J-League, vencendo um bicampeonato nas duas primeiras temporadas e que hoje está na J-2) que contava no seu elenco com 2 estrelas titulares da seleção japonesa que classificou o Japão pela primeira vez à uma Copa do Mundo em 1998: Kazu Miura e Ruy Ramos (Brasileiro naturalizado japonês).

ruy-ramos-miura

Por conta desse poder, muitos acreditam que o grupo exerce uma forte influência financeira em favor do time sobre a NPB e principalmente os árbitros, além da concorrência fortíssima nas contratações dos jogadores.

Já foram relatados na mídia, casos de ocultação de notícias de jogadores e dirigentes do Giants que tiveram problemas com apostas e até mesmo com a Yakuza, a máfia japonesa.

O caso mais recente de interferência do grupo foi em 2015 quando o gerente de baseball Tatsunori Hara pagou ¥100 milhões (aproximadamente U$ 1 milhão) para um ex-Yakuza para acobertar um escândalo extra-conjugal que não foi divulgado pelo Yomiuri Shimbun, mas sim descoberto pelo periódico Shukan Bunshun de menor expressão.

A polêmica do recorde de Sadaharu Oh

Na temporada regular de 1985, o americano Randy Bass, ídolo e 1B do Hanshin Tigers, veio para o último jogo da temporada, justamente contra o Giants treinado pela lenda Sadaharu Oh (Oh é até hoje o recordista mundial de Home Runs com 868), com 54 Home Runs, apenas 1 abaixo do recorde do mesmo Oh que rebateu 55 HR em uma única temporada.

O que aconteceu no jogo foi algo no minimo inusitado: Bass, sofreu 4 “walks intencionais” nas 4 primeiras idas ao bastão. Na quinta ida ao bastão, mesmo com os arremessos fora da zona para outro walk, Bass acertou a bola e a mandou para o outfield conseguindo uma rebatida simples. Após o jogo, Sadaharu Oh negou que tinha ordenado aos seus arremessadores para avançar Bass com walks, mas alguns dias depois, Keith Comstock arremessador americano dos Giants, declarou que um “certo treinador” dos Giants, que não era o senhor Oh, ameaçou multar em 1.000 dólares, cada strike que qualquer arremessador dos Giants arremessasse para Bass naquele jogo.

A revista Takarajima investigou o incidente e publicou que os executivos do time de Tokyo ordenaram ao time que não permitissem que Bass quebrasse o recorde de Sadaharu Oh. Imagine o que seria para o Giants se o recorde fosse quebrado por um “não japonês” (neste caso americano) e do principal rival,  que ainda terminaria a temporada como campeão da Nippon Series.

Ao final, nem mesmo o comissário da NPB na época o Sr. Takeso Shimoda se manifestou a respeito do incidente e mais esse recorde da lenda Sadaharu Oh permanece nos anais da história. Randy Bass além de levar o Tigers ao título da Nippon Series, ainda venceu a tríplice coroa e foi o MVP da temporada da NPB.

Essa historia traduz muito o que significa a rivalidade entre Tigers e Giants.

A Maldição… do Coronel

Não é somente Boston que sofreu com uma maldição, os Tigers ainda sofrem!

Mas a história não envolve nenhum fenômeno como o lendário Babe Ruth e chega até a ser engraçada para uma maldição (rsrs).

Após encerrar o jejum de 35 anos sem títulos e conquistando o seu primeiro da Nippon Series, os torcedores dos Tigers ficaram enlouquecidos, isso mesmo, ao ponto de se jogarem no então poluído canal Dotonbori no centro de Osaka.

Tigers_Fans_Jump

Segundo os relatos da época, com o titulo, os torcedores muito empolgados com o fim do jejum, correram para o centro da cidade e começaram pular nas águas do rio gritando o nome do jogador com quem se consideravam parecidos. Como não haviam sósias do craque e ídolo do time, o 1B Randy Bass, os enlouquecidos e empolgados fans pegaram “emprestada” uma estátua em tamanho real do Coronel Sanders (o mascote e fundador da rede de Fast Food KFC, que é a rede mais popular no Japão, que assim como o craque do Tigers é americano e possui um cavanhaque) e o arremessaram no rio gritando o nome do craque.

RandyBass_ColSanders

O que aconteceu em seguida alimentou a maldição: nos anos seguintes o Hanshin Tigers ficou em último na Liga Central em 4 dos 6 anos seguintes. Os mais supersticiosos diziam à época que enquanto a estátua do Coronel estive no fundo do Rio, os Tigers ficariam no fundo da classificação.

Em 2003, quando o time foi campeão da Liga Central e chegou novamente à Nippon Series após 18 anos, muitas lojas do KFC em Kobe e Osaka esconderam as suas estátuas do coronel Sanders até o final da série para evitar que elas desaparecessem das lojas. O que aconteceu foi que o Hanshin perdeu a série daquele ano para o Daiei Hawks de Fukuoka por 4 a 3 e o Coronel Sanders ficou “a salvo”.

Em 10 de Março de 2009, durante obras do projeto de revitalização do calçadão do canal Dotonbori, os funcionários das obras resgataram a estátua quase completa, faltando apenas os óculos e a sua mão esquerda.

Sanders_Found

A loja a qual a estatua um dia pertenceu já havia sido fechada, mas no primeiro momento foi colocada ali. Atualmente ela se encontra em uma outra loja do KFC próxima ao estádio Koshien.

Sanders_Back_KFC

Mas a sorte não mudou em nada… o máximo que o time conseguiu foi atingir a Climax Series 5 vezes desde então.

É incrível como a paixão pelo baseball e a rivalidade causam em todos os envolvidos momentos de loucura, não é mesmo?

Espero que tenham gostado deste especial da história da Nippon Professional Baseball, a NPB e 2 dos seus mais populares times.

É isso ai, comente, compartilhe e continue nos seguindo! Em breve teremos mais informações da Japolândia.

Ricardo Nozuma é torcedor dos Red Sox e dos Tigers, esteve in loco no Fenway Park, no Koshien Stadium e no Tokyo Dome e escreve regularmente para o Major Sports Blog.

#Sports4Life

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s