basquete

#Top10 – Melhores estrangeiros na história da NBA

Em mais uma das nossas resenhas nos grupos de Whatsapp a fora, surgiu o tema para esse texto. Tentarei mostrar para vocês os números, as carreiras e alguns momentos dos atletas em questão.

Steve Nash

nash

O Sul Africano naturalizado canadense foi um dos jogadores mais injustiçados na história da NBA. Dono de uma inteligência absurda, esse moço foi capaz de fazer jogadores medianos ou medíocres virarem excelentes jogadores com os seus passes magistrais. O maior exemplo é o Amare Stoudemire (Os torcedores do Knicks que o digam). Muitos pegam no pé da carreira dele pelo fato de nunca ter conseguido o tão sonhado anel de campeão da liga, mas nem sempre os títulos refletem a história ou a carreira de um determinado jogador. O Nash, seguindo o caso do Stockton é um exemplo. Ele distribuiu simplesmente 10.335 assistências na liga.

Durante a sua carreira ele teve médias de 14,3 pontos, 3 rebotes e 8,5 assistências por jogo. Foi eleito All Star por 8 vezes, 7 vezes All NBA Team e foi MPV por outras duas vezes (2005 e 2006). Na temporada 2004 – 2005, Nash liderou o time até a final de conferência, onde acabou sendo derrotado pelos futuros campeões daquela temporada, os Spurs. Nash foi escolhido MVP, sendo o primeiro canadense a vencer, o segundo estrangeiro (após Olajuwon que depois veio a se naturalizar) e o primeiro Branco a vencer o prêmio desde Bird em 1986. Ele defendeu os Suns (duas passagens), Mavs, e Lakers.

 

Tony Parker

parker

O armador belga naturalizado francês é literalmente um capeta em forma de armador. Capaz de pensar e assistir os companheiros com uma velocidade absurda, além de ter um mid – range fantástico e mortal, ele é capaz de arrebentar com as defesas adversárias. O seu jogo mudou o nível da seleção francesa, a qual ele levou ao título e ainda foi considerado o MVP do Eurobasket de 2013 e durante 16 anos e mais alguns faz a alegria aos torcedores do San Antonio Spurs, onde ele conquistou o título da liga por quatro vezes (2003, 2005, 2007 e 2014), ROY na temporada de estreia (01 – 02), 6 vezes All Star, 4 vezes All NBA Team, e MVP das finais de 2007.

As médias do Tony nesses 16 anos de liga são as seguintes: 16,1 pontos, 2,8 rebotes e 5,8 assistências por jogo. Todos nós que acompanhamos a liga sabemos que o Tony encontra-se em uma fase de regresso físico somado a uma contusão grave que o afastou das quadras por um bom tempo. Ele pode vir a conquistar mais um título com o Pop e companhia, graças a força do conjunto do SAS e a capacidade técnica.

O Parker é o típico exemplo do meu texto anterior (falei sobre o Kuzma), quando falei sobre a capacidade de escolha das franquias com picks altas de draft. Ele foi apenas a 28ª (vigésima oitava escolha)!!!!

 

Dirk Nowitzki

dirk

 Com 39 aninhos e 19 temporadas na NBA (todas jogadas pelo Dallas Mavericks), o adeus do mito Dirk Nowitzki parece estar próximo. O pivô construiu uma carreira bastante sólida na liga. Ele é o maior pontuador estrangeiro na história da NBA., rompendo em Março deste ano a barreira dos 30.000 pontos. Na carreira ele possui médias de 21,5 pontos (47,3% FG), 7,8 rebotes e 2,5 assistências por jogo. Além de ser um jogador versátil para um pivô, o jogo do Dirk ficou muito conhecido por ele utilizar muito o “fade away” nas jogadas de ataque (quando o jogador recebe a bola, as vezes de costas para o defensor, gira, dá um pequeno salto para trás e arremessa, também chamado de arpear o cavalo), se valendo da sua altura e envergadura, tornando quase impossível de ser bloqueado pelo adversário. Durante uma fase da carreira, ele ficou conhecido como amarelão, pois o time fazia uma boa temporada regular, mas quando chegavam os playoffs, as coisas não iam bem. O maior exemplo disso foi quando o time foi Seed 1 no ano de 2007 e foi eliminado pelos Warriors, Seed 8 por 4 x 2. Também perdeu a final da NBA contra o Heat, após estar vencendo a série por 2 x 0 no ano de 2006. Mas a história tem por hábito corrigir as devidas lacunas e no ano de 2011 fez a sua revanche contra o Heat, que tinha o “Big Three”, formado por Lebron, Wade e Bosh em seu primeiro ano juntos. Vitória por 4 x 2 e MVP das finais na conta do menino Dirk.

São 13 eleições para o All Star Game, 12 vezes escolhido para o NBA All Team, MVP da temporada regular em 2007 e MVP das finais em 2011. O fato triste é que o Dallas Mavericks vem de duas temporadas horrorosas e pelo andar da carruagem não darão um final de carreira digno ao Nowitzki.

Manu Ginobili

manu

Com certeza e de longe o ala armador argentino é o melhor jogador de basquete que já se viu em toda américa do sul. Dono de uma canhotinha mortal e de uma inteligência ímpar, principalmente na arte de cavar faltas. Temos que aproveitar os últimos momentos e apreciar a carreira deste brilhante jogador. Ele começou a carreira jogando na Argentina, no Andino e depois no Estudiantes. A seguir ele foi para a Itália, onde defendeu o Reggio e o Bologna, até chegar na NBA, no ano de 2002, onde na temporada de estreia foi escolhido como ROY. Também foi 2 vezes All Star, 2 vezes All NBA Team, Sixth Man em 2008 e ganhou a NBA por 4 vezes, nos anos de 2003, 2005, 2007 e 2014, além de ter liderado a seleção argentina ao inédito título olímpico no ano de 2004, em Atenas. Na carreira jogando na NBA Manú tem médias de 13,4 pontos, 3,5 rebotes e 3,8 assistências.

Pau Gasol

gasol

Será que o currículo do moço representa ou nos diz alguma coisa? Tri campeão Europeu (2009 ,2011 e 2015), Campeão Mundial em 2006 com a seleção da Espanha e dois vices campeonatos olímpicos, perdendo essas finais para o time americano, o que não é nenhum demérito. Na NBA, são dois títulos com o Los Angeles Lakers, nos anos de 2008 e 2010. Existe uma discussão em que cronistas, esportistas e letrados em basquete o colocam como melhor jogador da história da FIBA.

O cara simplesmente é completo. Bom arremesso, visão de quadra e um ótimo posicionamento nos dois lados da quadra. O que incomoda muitos os fãs do jogo é o jeito, o perfil do Gasol, que na maioria do tempo de jogo é muito tranquilo. Você normalmente não o vê brigando, reclamando ou dando enterradas monstruosas (vocês verão algumas no vídeo a seguir). Por isso ele é rotulado como “soft”, mas na minha humilde opinião é um engano da geral. O Gasol é dono das seguintes médias na NBA: 17,7 pontos, 9,4 rebotes e 3,2 assistências. São 16 anos jogando na NBA. Não é para qualquer um, ainda mais se tratando de um estrangeiro. Hoje ele não é mais um garotinho. O fim da sua carreira está próximo, mas ele carrega um fardo muito grande, graças a carreira que ele construiu dentro e fora da NBA. 6 vezes All Star, 4 vezes All NBA Team e Rookie of The Year na temporada 01 – 02. Ele defendeu Grizzlies, Lakers, Bulls e atualmente joga pelo Spurs.

 

Yao Ming

yao

        Para muitos o gigante chinês de 2 metros e 29 centímetros seria apenas um elo de ligação entre a NBA e o enorme mercado consumidor chinês, o que não deixou de ser, mas Yao Ming justificou o investimento com o seu basquete, com ótimas atuações e bons números. As suas médias com os Rockets foram de 19 pontos, 9,2 rebotes e 1,6 assistências. Conseguiu levar o time por 4 vezes aos playoffs, nos anos de 2004, 2005, 2007 e 2009. Yao possuía um jogo de costas para a cesta muito poderoso, graças a sua estatura e envergadura. Yao se afastou da NBA e se aposentou ainda jovem, pois sofria com dores crônicas nos pés e nas costas. Entrou para o Hall da Fama no ano de 2016. Por 8 vezes ele foi All Star, 5 vezes no All NBA Team, e em 2003 foi selecionado para o All Rockie Team

 

Arvydas Sabonis

sabonis
Para muitos, o pivô lituano foi o melhor jogador da posição fora da NBA de todos os tempos. Campeão olímpico em Seul (ainda com a URSS) e medalhista de bronze em Barcelona e Atlanta (Lituânia). Duas vezes campeão espanhol pelo Real Madri (1994 – 1995) e uma Euroliga (1995). O gigante de 2 metros e 21 centímetros pegava um mundo de rebotes, dono de um post poderoso, mas também era capaz de dar passes inteligentes e açucarados para os seus companheiros. Ele chegou a ser comparado ao Larry Bird, por causa dessa característica. Para a época, o Sabonis era um pivô diferenciado ao extremo. Foi um dos pioneiros da posição em arremessar do perímetro, em um período onde se um cara da posição 5 ou 4 pensasse em fazer isso, certamente iria levar uma chamada do treinador, que ficaria doente de raiva. Hoje é um fato bem corriqueiro, pois são poucos pivôs que conseguem sobreviver sem arremesso.

Na NBA foram 7 temporadas. Todas elas com o Portland Trail Blazers. Nas 6 primeiras ele ajudou a levar a franquia aos playoffs, mas nunca chegou em uma final de NBA. Durante esse período ele teve as seguintes médias: 12 pontos, 7,3 rebotes, e 2,1 assistências. Na sua temporada de estreia, ele foi selecionado para o All Rookie team. Ele também é um imortal do basquete, incluído no Hall da Fama em 2011.

Curiosidade: O Sabonis inicialmente foi draftado pelo Atlanta Hawks, mas a escolha foi anulada, pelo fato do mesmo ainda não ter completado 21 anos de idade, o que era ilegal pelas regras da NBA na época. Pelo menos em um draft os Blazers tinham que dar sorte.

 

Giannis Antetokounmpo

giannis

Em uma situação normal o grego não estaria participando deste grupo seleto de jogadores, mas o Ala de força, que faz de tudo dentro de quadra, capaz de jogar nas cinco posições da quadra representa o futuro da liga e joga o melhor basquete como estrangeiro na NBA. Ele foi draftado pelos Bucks na 15ª posição no draft de 2013. De lá para cá a besta grega tem 16,2 pontos, 7,2 rebotes e 3,7 assistências de média por jogo, mas na atual temporada ele tem beirado o inacreditável. São nada mais nada menos do que 29,5 pontos, 10,4 rebotes e 4,6 assistências por jogo. Se o Lebron e o Harden não estivessem jogando em um nível fora do normal, com certeza ele estaria brigando pelo prêmio de MVP, mesmo jogando em um mercado pequeno como o de Milwaukee. Ele foi ROY na temporada 2014, MIP, All Defense Team, All NBA Team e All Star na temporada 2017. Tem jogado pouco o moleque?

Preparem o “Oh my godness!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

Dikembe Mutombo

 mutombo

Diferentemente dos atletas citados anteriormente, o congolês Mutombo não tinha como principal característica do seu jogo o ataque, mas sim a sua defesa, graças aos seus 2 metros e18 centímetros, uma envergadura anormal e um tempo de bola espetacular na tábua defensiva. Esse gesto feito na foto ilustrativa ele tinha o hábito de fazê-lo quando dava um toco no jogador adversário. Como diria o Rômulo Mendonça: “aqui não neném!” De uma certa vez ele prometeu ao Michael Jordan que daria um toco nele (rsss). Esse toco acabou virando um pôster com a assinatura do MJ23, mas um bom tempo depois ele conseguiu dar o toco no MJ23. O carismático Mutombo foi a quarta escolha do draft de 1991 feita pelos Nuggets. Ele foi DPOY por 4 vezes (recordista juntamente com Rasheed Wallace), nos anos de 1995, 1997, 1998 e 2001, 8 vezes All Star, 6 vezes All Defense Team, 3 vezes NBA All Team, All Rookie Team no ano de 1992 e imortalizado no Hall da Fama em 2015. Defendeu os Nuggets, Hawks, 76ers, Knicks e encerrou a carreira nos Rockets. As médias dele em 18 temporadas são de 9,8 pontos, 10,3 rebotes, 1 assistência e 2,8 tocos (ele chegou a ter temporada com médias de 4,5 tocos por jogo, na temporada de 1996).

 

Toni Kukoc

kukoc

 O Sérvio Toni Kukoc é o último nome citado na nossa lista. O pivô croata fez parte da dinastia do Chicago Bulls. Foi Draftado no ano de 1990, mas só foi para a NBA na temporada 93 – 94. Ala pivô canhoto, com bom arremesso e bom passe. Foi campeão da NBA 3 vezes com o Chicago Bulls, nos anos de 96, 97 e 98. No ano de 1996 foi escolhido como Sixth Man e em 1994 para o All Rookie Team. Com a seleção da Iugoslávia, foi campeão mundial em 1990 e Campeão Europeu 1989 e em 1991.

 

       Eu sei que não vou agradar a todos, mas a minha lista (sem pipocar e sem calculadora) vai com a seguinte ordem:

1 – Dirk Nowitzki

2 – Steve Nash

3 – Parker e Manú

4 – Pau Gasol

5 – Dikembe Mutombo

6 – Arvidas Sabonis

7 – Toni Kukoc

8 – Yao Ming

9 – Giannis Antetokounmpo

Algumas pessoas vão me perguntar por qual motivo eu não citei o Porzings, o Divac, Petrovic, o Marc Gasol e outros caras. Eu tentei ser sucinto, mas como eu falei anteriormente, não tem como atender ao clubismo e ao desejo de todos. Alguns jogadores ainda não têm tempo ou conquistas na liga para entrarem nessa lista. Quanto ao Giannis, na toada que ele vai, com certeza ele chegará ao sexto lugar dessa lista e foi citado para que pudéssemos ter alguém jovem na lista.

Mande a sua lista para o nosso twitter e vamos bater aquela resenha bacana.

 

Paulo Correia, o @Teclasnaveia, assumiu essa responsa, mas confessamos que na redação já deu treta nesse #TOPTEN – especialmente para o blog Major Sports

Categorias:basquete, esporte, nba, sports, top10

Marcado como:, , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s