Endurance races

24hs DAYTONA: TRADIÇÃO E GLÓRIAS

883992-20101080-2560-1440Fala galera, começaremos a partir de hoje a falar um pouco sobre automobilismo, incluindo Endurance,  NASCAR, F1 e outras competições e nessa primeira matéria, o João Estumano conta um pouco das origens das 24h de Daytona.

O circuito oval de Daytona foi inaugurado em 1959 com um evento caótico de 100 milhas da USAC e ficaria famosa com a tradicional Daytona 500 da Nascar, porém o visionário Bill France desejava ter vários tipos de eventos no seu autódromo(até provas de lancha no lago dentro do infield ele fez) e em 1961 ele conseguiu cumprir a ideia com a criação do traçado híbrido de 5,73 km utilizando porções do traçado oval e com um circuito misto no infield(ideia copiada por Tony George e Bernie Ecclestone posteriormente em Indianapolis para a realização do GP de F1 no IMS).

A primeira prova no traçado híbrido foi a Daytona Continental em 1962, uma prova de apenas 3 horas de duração valendo para o WSC(Mundial de Marcas) e sendo um aquecimento para as 12 horas de Sebring que também acontecem na Flórida. Essa corrida de 62 contou com a participação de grandes nomes da F1, da Nascar e da USAC(na época responsável por sancionar o que hoje conhecemos como Fórmula Indy), a lista tinha nomes como Phil Hill, os irmãos Ricardo e Pedro Rodriguez, Stirling Moss, Jim Clark, Dan Gurney, Jo Bonner, Jim Hall, AJ Foyt, Glen “Fireball” Roberts, Marvin Panch e Roger Penske.
AJ Foyt com seu Pontiac Tempest na Daytona Continental de 1962.  
Créditos: Projeto Motor

O final da corrida foi icônico com a manobra inusitada de Dan Gurney para vencer. Gurney tinha mais de 3 minutos de vantagem e liderava com folga, porém nos últimos minutos percebeu um problema no motor do seu Lotus-Climax. Gurney não imaginava o carro sequer conseguindo completar a última volta da corrida e decidiu paralisar o carro próximo a linha de chegada na parte alta da inclinação da pista e ficou esperando o tempo passar até atingir as 3h que sinalizavam o fim da prova, quando o diretor de prova acenou a bandeira quadriculada, Dan Gurney rolou seu carro pra cruzar a linha de chegada e vencer a corrida. Veja a cena neste vídeo:

Como a corrida foi um sucesso, os idealizadores mantiveram o evento em 1963 e modificaram a duração de 3h para 2 mil quilômetros em 64 e 65, e em 1966 adotou-se o formato atual de 24h a pedido da Ford, para servir como teste para seus carros em preparação para as 24h de Le Mans e como um termômetro de desempenho em comparação com a rival Ferrari.

Em 1972 a corrida teve apenas 6 horas por causa da crise do petróleo, foi retomada a duração de 24 horas em 1973 porém em 1974 a corrida foi totalmente cancelada novamente por causa da crise do petróleo, mas a partir de 1975 o formato de 24 horas se manteve em definitivo.

A prova fez parte do WSC entre 1962 e 1981, a partir de 1982 o WSC decidiu manter o campeonato somente na Europa para reduzir os custos e repassou a corrida em definitivo para a IMSA, que já dividia a sanção com o WSC desde 1975 e até hoje é a entidade que sanciona a corrida, e desde 2014 com a reunificação entre Rolex SportsCar Series e American Le Mans Series a corrida voltou a ter grande destaque no cenário internacional e novamente com a participação dos pilotos do campeonato da IMSA e de outras categorias internacionais como a Fórmula Indy, a Nascar, a F1 e o WEC(reencarnação do WSC), porém não faz parte do calendário do WEC.

Dessa forma que a corrida se tornou uma espécie de abertura do cronograma de competições automobilísticas no EUA e no mundo, já que acontecia sempre entre o final de janeiro e começo de fevereiro e a partir de 2006 sempre na última semana de janeiro e respectivamente a semana anterior ao SuperBowl.

Novíssimo Acura DPi, o grande estreante de 2018 marca a volta do Team Penske ao Endurance americano e mundial.

Para a prova de 2018 foi confirmada a participação de nomes de calibre do automobilismo mundial como Fernando Alonso, Felipe Nasr, Scott Dixon, Sebastien Bourdais, Kyle Larson e com a entrada da Penske no campeonato da IMSA também incluiu pilotos como Simon Pagenaud, Hélio Castroneves, Juan Pablo Montoya e Graham Rahal. A prova de 2018 acontecerá nos dias 27 e 28 de janeiro e é sobre ela que vamos falar no próximo texto. Até lá!

João Estumano é amante dos esportes, aficionado nas corridas de carro e está estreiando com essa matéria especialmente para o blog Major Sports

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s