basketball

NBA 2018 – Trade Deadline

E deu o que falar nessa última trade deadline da NBA (aprende, Boras! Seu inútil). Muito time se reforçando, atletas voltando as suas origens, enfim… Agora é hora de botar a casa em ordem e resumir as trocas (somente as que aconteceram hoje) e suas consequências.

Troca 1 (Pistons -> Bulls)

troca 1

E a primeira troca foi entre dois dos maiores rivais da NBA. Chicago manda para Motor City o armador Jameer Nelson (recém-chegado na troca do Mirotic semana passada) e recebe o pivô Willie Reed (recém-chegado na troca do Griffin) e uma escolha futura de segunda rodada.
Para Detroit, é reforçar a armação que hoje conta com Ish Smith e Reggie Jackson (lesionado). Para os Bulls, é pela escolha pensando no rebuild. Reed está suspenso por seis jogos por violência doméstica e será dispensado pela franquia em breve.

 

Troca 2 (Heat -> Hawks)

troca 2

Agora é outra para reforçar o perímetro. Atlanta, que também está no modo tank, manda (de volta) para South Beach o ala Luke Babbitt. Na troca, recebe o também ala Okaro White, que está lesionado.
Babbitt “conhece a casa” e deve ajudar nas bolas de três (44,1% de aproveitamento na temporada). White será dispensado dos Hawks.

 

Troca 3 (Nets -> Pelicans)

troca 3

 Dante Cunningham, que era o substituto no quinteto titular de NOLA antes da chegada de Mirotic, vai para NY reforçar os Nets, que mandam para a terra do jazz o armador Rashad Vaughn.
Vaughn tem apenas 21 anos e mostra bom repertório no tiro longo, o que pode desafogar o ataque (37,1% de acerto na temporada – maior marca da carreira). Cunningham chega para reforçar o garrafão e ajudar, dentro dos seus padrões, o jovem núcleo dos Nets.

 

Troca 4 (Cavaliers -> Lakers)

troca 4

E aqui começa o boom da tarde. A primeira troca dos Cavaliers para reformular o elenco para a segunda metade da temporada. Jordan Clarkson (armador) e Larry Nance Jr (ala-pivô) chegam a Ohio e Isaiah Thomas (armador), Channing Frye (ala-pivô) e uma escolha dos Cavaliers de primeira rodada (top-3 protect – não é a dos Nets) vão para LA.
Para LA é simples: abrir espaço no cap (folha salarial) para trazer o tão aguardado All-Star na Free Agency, em julho. Isaiah Thomas e Channing Frye chegam para ajudar (ambos são expirantes) no desenvolvimento dos jovens jogadores. Thomas teve apenas 15 jogos na temporada (lesão no quadril) e agora nos Lakers, terá mais o jogo para si (pelo menos até o Lonzo voltar) ou atuar ao lado do filho de LaVar Ball (que pode acabar acontecendo).
Nos Cavs é o início da remontagem, pensando em um plano sem LeBron. Clarkson chega após vir de uma sequência muito boa de jogos e ajudar ainda mais no ataque, capitaneado pelo camisa #23. Larry Nance Jr ajudará nos rebotes e na questão física por ser um jogador bem atlético. Inclusive, Nance jogará onde seu pai, Larry Nance,i fez história. Ambos são jovens e não expirantes, o que significa que, em caso de debandada após o campeonato, uma base ao menos terá em Cleveland.

 

Troca 5 (Cavaliers -> Heat)

 troca 4_

 O bom filho à casa torna. Depois de uma temporada e meia, o ala-armador Dwyane Wade volta ao time de Miami. O maior ídolo da história do clube, após saber que teria seus minutos ainda mais reduzidos, pediu para ser trocado e foi atendido. Miami manda para Cleveland uma escolha de segunda rodada de 2024! Uma troca mais simbólica, mas que para o torcedor do Heat é especial: ter o seu camisa #3 de volta.

 

Troca 6 (Cavaliers -> Jazz -> Kings)

troca 5

 A primeira troca do dia envolvendo três equipes. Ainda na reformulação, os Cavaliers mandam Jae Crowder (ala) e Derrick Rose (armador) para Utah. Do Jazz, Cleveland recebe Rodney Hood (ala-armador) e manda o experiente ala Joe Johnson para os Kings. Da Califórnia, vem Iman Shumpert (ala-armador) e George Hill (armador) vai para Ohio.
Nos Cavs, é o mesmo intuito com Hood. Jovem, bom jogador, para agregar no elenco como um plano B caso LeBron não fique em Ohio. George Hill, mais experiente, chega para reforçar a armação, que contava apenas com Jose Calderon.
Em Utah, Crowder deve permanecer e ganhar seus minutos. Tem como característica sua defesa e em um time que costuma defender bem, pode agregar. Rose foi dispensado de Utah e não deve ficar sem time. Minnesota pode ser o seu destino nos próximos dias.
Nos Kings, Joe Johnson deve assinar um buyout e acertar com alguma equipe para os playoffs. A troca de Hill dará mais espaço para o calouro De’Aaron Fox.

 

Troca 7 (Pistons -> Grizzlies)

troca 6

 James Ennis (ala) por Brice Johnson (ala-pivô). Só isso. Ennis chega para reforçar a ala de Detroit, que conta com o jovem (porém oscilante) Stanley Johnson e mais um que chegou via Griffin trade, vai tentar a sorte em Memphis. Com Memphis uma enfermaria, Brice deve ter seus minutos.

 

Troca 8 (Raptors -> Kings)

troca 7

O Durant brasileiro não é mais dos Raptors. Malachi Richardson, ala-armador calouro, chega para reforçar o time canadense. Sacramento receberá o brasileiro e, assim como Willie Reed, não deve ficar na equipe californiana.

 

Troca 9 (Knicks -> Mavericks -> Nuggets)

troca 8

Outra troca tripla. Mudiay, que não vinha atuando no Colorado, reforça o time de NY. Doug McDermott, o shooter que não consegue se firmar, vai para Dallas. Os texanos mandam o experiente armador Devin Harris para Denver.
NY não consegue achar o seu armador na temporada. Jack caiu de produção, Frank Ntilikina não tem uma sequência e Trey Burke também não agarrou a oportunidade. Mudiay chega para brigar por uma vaga no time (e do jeito que está, é bem capaz de jogar).
Dallas manda Devin Harris para reforçar a armação de Denver, que conta com o ótimo Jamal Murray e o point-center Nikola Jokic. Mais pela experiência, caso o time avance para os playoffs. McDermott vai para seu terceiro time em menos de um ano. Com os Mavs em rebuild, pode acrescentar algo (e com o Nowitzki como tutor).

 

Troca 10 (Blazers -> Bulls)

troca 9

Noah voltou… Mas não é o pivô francês. Noah Vonleh, jovem ala-pivô, vai para Chicago em prol de desafogar a folha salarial de Portland (pensando mais a frente). Portland recebe os direitos de Milovan Rakovic, sérvio de 32 anos que dificilmente terá chance na NBA.

 

Troca 11 (Wizards -> Hawks)

troca 10

Igualzinho ao que aconteceu em Chicago. Mac operou o tendão de Aquiles em outubro e desde então ficaria de seis a oito meses fora. Mas como acabou sendo previsto que ele ficaria ainda mais dois meses parado, o time da capital resolveu mandá-lo para a Georgia, apenas para dar espaço no time para trazer algum jogador no futuro. Atlanta já dispensou o armador.

 

Troca 12 (Magic -> Suns)

troca 11

A troca que concretizou mais um time na briga pelo top-1 do Draft. Orlando manda nada menos que seu armador titular, Elfrid Payton, para o Phoenix Suns, em troca de uma escolha de segunda rodada.
O armador poderá cumprir ou não com a cláusula de seu contrato (a qualfiying offer) para 2018-19 e com medo de não sair sem nada, Orlando mandou para o Arizona e assegurou mais uma escolha visando o Draft, em junho. O que Phoenix irá fazer? Só Deus sabe.

Vitor Silva é o nosso”insider” de NBA e colabora exclusivamente para o Major Sports Blog

#Sports4Life

Categorias:basketball, basquete, nba, sports

Marcado como:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s