baseball

Preview: Baltimore Orioles

A temporada de 2017 para Baltimore é para ser esquecida. O time de Maryland, depois de cinco anos com campanha de no mínimo 50%, encerrou com apenas 75 vitórias em 162 partidas, ficando na lanterna da divisão leste da liga americana. Os reforços que chegaram são mais pontuais do que contratos de baciada, seguindo o seu padrão na Free Agency nos últimos anos.

1200px-Baltimore_Orioles_logo.svg

CHEGADAS e SAÍDAS

Chegadas

OF Jaycob Brugman
2017 (48 jogos): .266 baa, .346 obp, .343 slg, 3 HR e 12 RBI pelo Oakland Athletics

C Andrew Susac – 2017 (8 jogos): .083 baa, .083 obp, .083 slg e apenas uma rebatida pelo Milwuakee Brewers

SP Andrew Cashner
2017 (28 jogos): 11-11, 3.40 ERA, 166.2 IP e 86 K pelo Texas Rangers

SP Chris Tillman
2017 (24 jogos): 1-7, 7.84 ERA, 93.0 IP e 66 K pelo Baltimore Orioles

O primeiro reforço é Jaycob Brugman. Defensor externo, que teve sua primeira experiência nas majors pelos A’s no ano anterior, chega para suprir uma das necessidades de Buck Showalter: um OF que rebata como canhoto. Hoje, só Chris Davis rebate como tal. Segundo Dan Duquette, o GM, seu aproveitamento chegando em base é o que mais chamou a atenção, já que Baltimore não é conhecido por sua paciência no home plate. Andrew Susac chega para ser “o reserva do reserva”. Chance Sisco e Caleb Joseph serão os donos da posição e Susac, que nunca passou de backup catcher, entra para substituir em caso de um deles, ou ambos, não jogarem.

No montinho, onde mais tarde será mais destrinchado, Baltimore trouxe Andrew Cashner e renovou com Chris Tillman. Cashner é um groundball pitcher (induz eliminação por bola rasteira) e vem do ano onde mais conseguiu vitórias (11) pelos Rangers, além de ser um bom pitcher fora do radar. Já Tillman, volta por uma temporada para apagar o péssimo 2017. Apenas uma vitória no ano e muitos questionamentos sobre seu estado físico, pois vinha de uma operação no ombro esquerdo, limitando a qualidade de seus arremessos. Agora recuperado, Tilly tem tudo para dar a volta por cima.

Saídas

C Welington Castillo (Chicago White Sox)
2017 (96 jogos): .282 baa, .323 obp, .490 slg, 20 HR e 53 RBI

OF Seth Smith (Free Agent)
2017 (111 jogos): .258 baa, .340 obp, .433 slg, 13 HR e 32 RBI

SS J.J. Hardy (Free Agent) 2017 (73 jogos): .217 baa, .255 obp, .323 slg, 4 HR e 24 RBI

IF Ryan Flaherty (Philadelphia Phillies)
2017 (23 jogos): .211 baa, .302 obp, .237 slg, 1 HR e 8 RBI

SP Ubaldo Jiménez (Free Agent)
2017 (31 jogos): 6-11, 6.81 ERA, 142.2 IP e 139 K

SP Wade Miley (Milwaukee Brewers)
2017 (32 jogos): 8-15, 5.61 ERA, 157.1 IP e 142 K

Dessa lista, Welington Castillo foi um pouco além das expectativas. Teve seu melhor ano nos dois sentidos: ataque e defesa. Como teve que conviver com lesões na virilha, acabou jogando pouco mais da metade da temporada (e esses números seriam maiores, acredite). Como a franquia iria dar mais espaço a Sisco, o Beef optou por não cumprir o segundo ano de contrato e irá para o South Side de Chicago.

Ubaldo e Miley não deixarão saudades. Ambos fizeram campanhas muito ruins com o passar dos anos em Baltimore e renovar era fora de questão. Enquanto Miley ainda vai jogar em um time que vai brigar por playoff, Ubaldo segue sem clube. Já Hardy e Flaherty é pelo valor sentimental. Hardy foi um dos melhores shortstops do início da década, mas as lesões não deixaram com que ele pudesse produzir mais. Flash era o severino do time: só não jogou de pitcher. Esses sim, deixarão muitas saudades.

Lineup e Rotação

A rotação entra em 2018 com uma perspectiva bem melhor do que em anos anteriores. Dylan Bundy e Kevin Gausman virão para mostrar que podem ter suas temporadas da vida. O primeiro teve o melhor ano da carreira livre das lesões e com um ERA (para os padrões dos Orioles de 2012 em diante) muito bom (4.24) e ganhou a condição de ace pelo que apresentou no ano passado. Gausman sucumbiu com a responsabilidade de ser o ace do time. Alternou entre boas e más atuações, mas é um pitcher de muita qualidade e que jogará pelo seu ídolo em 2018: Roy Halladay (Roy foi vítima de um acidente aéreo e Gausy jogará com a #34 em homenagem a ele). Cashner e Tillman chegam para preencher a rotação. Se espera do barbudo entradas sólidas. E de Tilly, um ano saudável e livre das lesões. Segundo Gausman, o comando da bola rápida de Tillman voltou, o que já é uma ótima notícia.

Chris-TillmanChris Tillman

A quinta vaga está em aberto. Nomes como Gabriel Ynoa, Mike Wright e até Miguel Castro surgem como candidatos. O escolhido deve ser nomeado durante o Spring Training (serão 9 SP durante o ST), caso Baltimore não acerte com algum outro pitcher até o início da temporada.

Rotação
Bundy
Gausman
Cashner
Tillman
(indefinido)

Para o bullpen, não haverão surpresas. A base será a mesma que encerrou 2017. A ausência maior será de Zach Britton até meados de junho e julho. Brad Brach será o homem da nona entrada até lá, com Mychal Givens e Darren O’Day como setup. Caso não vá para a rotação, Miguel Castro voltará para entrar em situações de risco. Richard Bleier, uma das surpresas de 2017, deve aparecer mais em situações de canhoto x canhoto (mais até que Donnie Hart). Pelo que jogou, merece destaque por ser um pitcher que faz o “arroz e feijão” direitinho.

RHP-Brad-Brach-hands-Baltimore-Orioles-first-arbitration-loss-in-22-yearsBrad Brach

Bullpen

CL Brad Brach (até a volta do Britton)
SU Darren O’Day
SU Mychal Givens
RHP Miguel Castro
LHP Richard Bleier

LHP Donnie Hart

 

Lineup

O lineup é conhecido de todos, mas a lacuna fica no campo direito. Sem Seth Smith, que optou por testar o mercado, os candidatos para a posição são Mark Trumbo (que defensivamente é uma mãe), Austin Hays (calouro do Farm com muito potencial, mas que não deve começar a temporada nas Majors) e Jaycob Brugman (já atuou nas três posições do OF e é canhoto). Minha aposta é de que Brugman comece a temporada mais por necessidade, a princípio. Pela ordem natural das coisas, Hays ganhará a posição em breve.

3B Tim Beckham
SS Manny Machado
2B Jonathan Schoop
Adam+Jones+Baltimore+Orioles+Photo+Day+V0JnrscyJfJl CF Adam Jones
LF Trey Mancini
1B Chris Davis
DH Mark Trumbo
RF Brugman ou Hays
C Chance Sisco

 

Expectativa para o ano e previsão

Com as perdas e rotação com mais incógnitas do que certezas, Baltimore está projetado para apenas 69 vitórias em 2018. O ataque seguirá na mesma toada que todos estão acostumados: long ball. A “atração” será Manny Machado. Especulado em vários rumores de troca desde o Winter Meetings, Manny jogará este ano na sua posição de origem: shortstop. Após a saída de Hardy, Showalter atendeu o seu pedido. E com isso, Tim Beckham jogará na 3B (tem apenas 8 jogos de experiência na posição nas grandes ligas).

MLB: Tampa Bay Rays at Baltimore Orioles

Além de Manny, pode ser o último ano na equipe de muitas das caras que mudaram a mentalidade dos O’s de 2011 para cá. Buck Showalter, o manager, é um deles. Além dele, Dan Duquette, Zach Britton e Adam Jones podem dizer adeus. Os dois últimos até antes da temporada, dependendo da situação. Britton nunca se firmou como SP e depois de ir para o bullpen, virou um ace da nona entrada, coroado com um 2016 muito absurdo. Jones já tem uma relação mais forte com os Orioles. Indo para sua 10ª temporada seguida vestindo preto e laranja, o capitão falou de como cidade e clube mudaram sua vida, mas reiterou que “o problema não é dinheiro, e sim títulos”. Isso foi falado inúmeras vezes pelo camisa #10: se não derem um time que brigue por conquistas, ele pode sair.

 

Fique de Olho

Será uma temporada complicada, então é hora de olhar para o futuro e ele está ali, em Trey Mancini. O 1B que foi para o LF a pedido de Showalter teve um início de ano difícil para se adaptar na posição. Depois de ajustes e uma partida em especial decisiva (contra os Bucs), Mancini fincou seu lugar no time para não sair mais (foi eleito o terceiro melhor calouro da AL, atrás de Aaron Judge e Andrew Benintendi). Dono de uma rebatida segura e com uma defesa que vem evoluindo com o tempo, Trey tem tudo para em uma eventual saída dos principais jogadores da franquia, ser O cara do time. Olho no camisa #16.

mancini

 

A série de “Previews” da MLB é um oferecimento do blog Major Sports. Nesta matéria tivemos a colaboração de Vitor Silva, que é o responsável pelas colunas Power Ranking e Fantasia no Ar, e comanda brilhantemente o perfil @BirdlandBR, especializado no Baltimore Orioles.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s