baseball

Preview: Texas RANGERS

1200px-Texas_Rangers.svg

Texas surpreendeu a todos no beisebol por ser um time eficiente, não nos números e estatísticas, mas que chegou aos playoffs de maneira que poucos esperavam. Mais ainda: ganhando a divisão oeste dois anos atrás. Em 2017 então, o time ainda brigava mesmo contra todas as previsões até meados de julho, agosto, quando perdeu força e ficou pelo caminho, terminando com 78 vitórias e sem seu principal nome da década, Yu Darvish, trocado para os Dodgers na trade deadline.

Chegadas e Saídas

Chegaram

LHP Matt Moore – 2017 (32 jogos): 6-15, 5.52 ERA, 174.1 IP e 148 K pelo San Francisco Giants

RHP Doug Fister – 2017 (18 jogos): 5-9, 4.88 ERA, 90.1 IP e 83 K pelo Boston Red Sox

LHP Mike Minor – 2017 (65 jogos): 6-6, 2.55 ERA e 88 K pelo Kansas City Royals

RHP Chris Martin – Não atua nas majors desde 2015, quando estava no New York Yankees

RHP Bartolo Colon – 2017 (28 jogos): 7-14, 6.48 ERA, 143.0 IP e 89 K por Atlanta Braves e Minnesota Twins

2B Darwin Barney – 2017 (129 jogos): .232 baa, .275 obp, .327 slg, 6 HR e 25 RBI pelo Toronto Blue Jays

RHP Jesse Chavez -2017 (38 jogos): 7-11, 5.35 ERA, 138.0 IP e 119 K pelo Los Angeles Angels

freakRHP Tim Lincecum – Não atua nas majors desde 2016, quando estava no Los Angeles Angels

Para 2018, o cenário não muda: apostas. O time não conseguiu atrair os Free Agents e, até o fechamento deste post, acabou fechando com veteranos para a temporada. E não são nomes que inspiram confiança. Começando por Doug Fister, que foi contratado durante o ano de 2017 pelo Boston (mais por necessidade) e não agradou. O interminável Bartolo Colon está em vias de ir para a sua 21ª temporada na MLB, mas vem de forte regressão no ano passado.

O nome que mais agrada dos que fecharam é Mike Minor. Atuando pela primeira vez vindo do bullpen, mostrou muita qualidade e pode agregar bastante já que Texas terminou 2017 com o terceiro pior ERA entre os relievers (4.76) e Minor pode ser usado como long relief ou pitcher de rotação. Outro que irá reforçar o setor é Tim Lincecum. Duas vezes eleito Cy Young pela Liga Nacional (Giants), Lincecum regrediu de forma vertiginosa depois de 2011, com campanhas negativas e ERA elevado (exceção em 2015). Tentou a sorte nos Halos, mas não teve sucesso. Depois de um ano longe do montinho, Tim retorna em busca da “volta por cima” na MLB.

 

Saíram

RHP Andrew Cashner (Baltimore O’s) – 2017 (157 jogos): 11-11, 3.40 ERA, 166.2 IP e 86 K

OF Carlos Gomez (Tampa Bay Rays) – 2017 (105 jogos): .255 baa, .340 obp, .462 slg, 17 HR e 51 RBI

1B/DH Mike Napoli (Cleveland Indians) – 2017 (124 jogos): .193 baa, .285 obp, .428 slg, 29 HR e 66 RBI

RHP Miguel Gonzalez (Chicago White Sox) – 2017 (27 jogos): 8-13, 4.62 ERA, 156.0 IP e 100 K

RHP Jason Grilli (Free Agent) – 2017 (46 jogos): 2-5, 6.30 ERA, 40.0 IP e 48 K

RHP A.J. Griffin (New York Mets) – 2017 (18 jogos): 6-6, 5.94 ERA, 77.1 IP e 61 K

E algumas das perdas serão muito sentidas. Começando por Cashner, que fez a sua melhor temporada da carreira em 2017, atingindo sua melhor marca em vitórias (11). Em uma rotação que tinha apenas Hamels como homem de segurança, o barbudo foi muito bem e vai fazer falta com suas groundballs. Carlos Gomez idem. O outfielder não era aquele dos tempos de Milwaukee Brewers, mas chegou até a rebater para o ciclo (simples, dupla, tripla e home run na mesma partida) e em um ataque onde o long ball falou mais alto (237 – #3 da MLB) vai enfraquecer o meio. O mesmo vale para Mike Napoli, que voltou pela terceira vez ao clube e mesmo com aproveitamento terrível no bastão, chegou perto dos 30 HRs. Ainda tem gasolina no tanque.

Agora Miggy G, Jason Grilli e A.J. Griffin são o oposto. Gonzalez chegou na reta final na esperança de ajudar na arrancada rumo ao wild card… Mas em 5 jogos, só ganhou um e ainda fechou com ERA acima de 6 no time texano. O veterano Grilli também não acrescentou nada na equipe e Griffin foi mais para a DL do que para o montinho, prejudicando as opções para a rotação.

Lineup e Rotação

Um ótimo Cole Hamels vai comandar a rotação. Mesmo com o time abaixo, Hamels quando entrou não deixou a má fase atrapalhar e será o ace em 2018. Mike Minor, depois de um grande ano no bullpen dos Royals, está projetado para voltar a ser starter depois de dois anos. O 3-4-5 não tem um bom prognóstico. Começando por Matt Moore, que chegou dos Giants após o seu pior ano em derrotas e corridas merecidas. Martin Perez, que teve um bom ano em 2017, virá de cirurgia no ombro, mas terá seu lugar garantido. Jesse Chavez e Doug Fister brigam pela última vaga, com vantagem para o ex-Red Sox.

Rotação

NS_31rangbriefs_21mmr.JPG
Cole Hamels
Mike Minor
Matt Moore
Martin Perez
Doug Fister

No bullpen, após um 2017 abaixo no geral, são poucos nomes que se salvaram. Alex Claudio conseguiu destaque por ser o mais sólido vindo de lá (2.50 ERA e 11 saves). Começará o ano como fechador. Dos demais nomes, destaques para Matt Bush e Tim Lincecum. O ‘xará’ do ex-presidente americano ainda acredita que jogará na rotação e espera uma resposta da equipe quanto a isso. A princípio, é o homem da oitava.

Bullpen
CL Alex Claudio
SU Matt Bush
SU Tim Lincecum
RP Jhan Martinez
RP Tony Barnette
RP Chris Martin
RP Jose Leclerc
RP Keone Kela

No ataque, o bom e velho long ball. Sem Adrian Beltre, que perdeu boa parte da temporada por lesão (e quando voltou entrou para o 3000-hit club), Joey Gallo o substituiu e ele é, literalmente, a definição de ‘Home Run ou K’. Foram 41 HR com um aproveitamento de 20,9% de rebatidas (Odor não está mais sozinho nessa). Além de Gallo, Nomar Mazara também fez uma ótima temporada ofensiva, evoluindo muito bem no bastão, e está no caminho para se firmar como um dos bons nomes dos próximos anos, assim como Delino DeShields. Nisso, Texas está muito bem servido. Mas sem Mike Napoli, a máquina texana de Home Runs vai perder força.

Lineup
OF Delino DeShields
DH Shin-Soo Choo
OF Nomar Mazara

beltre
3B Adrian Beltre
1B Joey Gallo
SS Elvis Andrus
2B Rougned Odor
C Robinson Chirinos
OF Drew Robinson

Fique de Olho

apr-16-2016-texas-rangers-right-fielder-nomar-mazara-30-during-an-FXM3GEOlhando para o futuro, o destaque não poderia ser outro: Nomar Mazara. O outfielder vem crescendo temporada a temporada e chegará para se firmar como um dos melhores da posição. Por jogar em um mercado pequeno, não chame a atenção que o seu jogo merece. Mas fique de olho, pois estamos falando de uma nova estrela na MLB.

Expectativa para o ano e Previsão

As projeções ajudam o time dos Rangers, já que os colocam perto de 50% na temporada (79-83). O ataque terá que cobrir as inúmeras lacunas de rotação e bullpen, que não passam segurança. Com todo mundo saudável (as lesões castigaram o 2017 de Texas, é verdade), o time ainda pode brigar por um wild card (se as coisas derem muito certo), no máximo. A divisão conta com o atual campeão (Astros), outros dois times que irão perseguir o wild card (Angels e Mariners) e um promissor Athletics correndo por fora. Não será fácil.

 

A série de “Previews” da MLB é um oferecimento do blog Major Sports. Nesta matéria tivemos a colaboração de Vitor Silva, o @chaveatle no twitter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s