baseball

PREVIEW ARIZONA DIAMONDBACKS

dbacs

Em uma das mais difíceis divisões da MLB, o Arizona Diamondbacks busca se firmar como uma das potências da NL. Em seu primeiro ano comandando o time, Torey Lovullo conseguiu levar um time desacreditado a uma brilhante campanha de 93 vitórias e 69 derrotas que lhe rendeu a segunda posição na conferência oeste, primeiro spot do WildCard e o prêmio de treinador do ano na National League. Após um tiroteio contra o Colorado Rockies no jogo do wildcard (11-8), os Dbacks voltaram a enfrentar o velho conhecido de divisão, o Los Angeles Dodgers e o resultado não poderia ser mais frustrante, varrida por 3 a 0 para o time de Clayton Kershaw e companhia na NLDS. O resultado apesar de frustrante evidenciou algumas falhas no roster dos Dbacks, especialmente a inexperiência da rotação para os playoffs e a falta de qualidade no bullpen. Apesar de perder peças importantíssimas como o outfielder J.D Martinez, o corpo principal do time se manteve e promete mais uma vez tumultuar a já forte conferência oeste. Vejamos as principais movimentações do Dbacks neste offseason.

CHEGADAS e SAÍDAS

Quem chegou:

Alex Avila (C) – 2017 – Tigers/Cubs – AVG .260 / 14 HR / 49 RBI

Jared Dyson (CF) – 2017 – Mariners – AVG .251 / 5 HR / 28 SB

Steven Souza Jr (RF) – 2017 – AVG .239 / 30 HR / 78 RBI

Yoshihisa Hirano (RP) – 2017

Brad Boxberger (RP) – 2017 – Rays 4-4 / ERA 3.38 / WHIP 1.15

Quem saiu:

J.D Martinez

Chris Herrmann

Chris Iannetta

Brandon Dury

Anthony Banda

Fernando Rodney

Nesta offseason o Arizona Diamondbacks concentrou todas as forças na manutenção do RF J.D Martinez, após sua passagem espetacular pelo Chase Field, porém a alta pedida do campo externo inviabilizou a sua permanência e após uma novela tediosa, o OF fechou com o Red Sox. Com um payroll de pouco mais de 120 milhões de dólares, o front office de Arizona não tem espaço para movimentações agressivas no mercado como a manutenção de um dos seus principais jogadores ou a busca por alguns dos principais free agentes desta temporada. Neste cenário chama atenção a negociação envolvendo os times do Tampa Bay Rays e New York Yankkes, que trouxe Steven Souza Jr para ocupar o RF dos Dbacks e levou Brandon Dury para o Bronx e o outrora top prospect Anthony Banda para os Rays.

Distante dos principais free agents do bullpen (Greg Holland e Wade Davis), Torey Lovullo ganhará mais consistência com os reforços obtidos neste offseason. Brad Boxberger foi a principal contratação neste setor, além da aposto em Yoshihisa Hirano vindo da Nippon league, mas a grande notícia para os torcedores é a saída de Fernando Rodney da posição de closer.

Para repor a saída de Iannetta, Alex Avila chega após uma primeira metade de temporada muito forte pelos Tigers e um pós all-star game ofuscado por Wilson Contretas nos Cubs e deve assumir a maior parte do jogos atrás do homeplate. Outra contratação interessante é a presença de Jared Dyson, que vem com o intuito de adicionar ainda mais agressividade em base para um time que já conta com AJ Pollock e até Goldie arriscando seus roubos.

Entre os jogadores que saíram e ficaram, a nota triste vai para a permanência de Yasmany Tomas, que com mais uma vez abocanhará a quantia de R$ 13,500,00.00 de dólares sem produzir em alto nível. (Nota do editor, Tomás foi mandado pra ASA após essa cornetada)

LINEUP e ROTAÇÃO

Provável Rotação

greinke1 – Zack Greinke (17-7, ERA 3.20, WHIP 1.07)

2 – Roobie Ray (15-5, ERA 2.89, WHIP 1.15)

3 – Zack Godley (8-9, ERA 3.37, WHIP 1.14)

4 – Taijuan Walker (9-9, ERA 3.49, WHIP 1.33)

5 – Patrick Corbin (14-13, 4.03, WHIP 1.42)

Grande parte do sucesso da temporada de 2017 se deve à rotação do Arizona Diamondbacks, que sem pompa acabou a temporada com o terceiro menor ERA da MLB (3,67), apenas atrás de Indians e Dodgers, que contam com rotações bem mais estreladas.

Encabeçando a rotação está uma das grandes dúvidas desse time a curto prazo, Zack Greinke. Indiscutivelmente um dos pitchers mais regulares da MLB, Zack tem seu futuro incerto em Arizona, principalmente devido aos 138.500.000,00 que ainda tem a receber até 2021. A grande questão aqui é até quando o veterano de 34 anos justificará o salário astronômico?

Em seus 32 jogos de 2017, Greinke registrou um ERA de 3.20 (6th), 215 SO (5th) e um score de 17-7 (2nd), números que justificam todo o investimento no ace de Arizona, entretanto seu desempenho foi aquém do esperado nos playoffs, no qual jogou apenas 8.2 IP em dois jogos, acumulando um total de 7 ER.

Independentemente do desempenho na temporada de 2018, é difícil imaginar que algum time compre este contrato, ou seja, o melhor é realmente esperar que Greinke mantenha a regularidade que tanto o caracteriza.

A segunda posição da rotação é ocupada pela grande peça chave deste time, Robbie Ray. O canhoto finalmente justificou todo o seu potencial com uma temporada impressionante, na qual registrou a incrível marca de 12.11 K/9, atrás apenas de Chris Sale (12.93 K/9) neste quesito. Com um ERA de 2.89 em 2017, Robbie Ray foi o principal motivo para a rotação do Dbacks passar de duvidosa para umas das melhores da MLB. Para 2018, espera-se que Ray não apresente regressão e confirme seu potencial de ace que há tempos os torcedores do Dbacks esperam. Para que isso aconteça, é indispensável o controle de seus arremessos sejam aprimorados, uma vez que em 2017 a taxa de BB/9 foi de 3.89, número elevadíssimo para um pitcher consistente.

Zack Godley e Taijuan Walker dão profundidade à rotação e para 2018 a tendência é outra temporada consistente de ambos, que em 2017 apresentaram um ERA de 3.37 e 3.49 respectivamente.

Fechando a rotação, Patrick Corbin foi um único jogador a apresentar um ERA acima de 3.50 e novamente deve ser o elo fraco deste setor, porém sem dúvida, um ótimo pitcher para fechar a rotação.

Em resumo, novamente a rotação do Dbacks vem forte para 2018 e deve ser o ponto chave para as aspirações de playoffs. Olho no desempenho de Robbie Ray e Taijuan Walker nesta temporada.

Bullpen

bradley– Closer – Archie Bradley

– Setup – Yoshihisa Hirano

– Setup – Brad Boxberger

– Setup – Andrew Chafin

– Setup – Randall Delgado

– Setup – Jimmie Sherfy

Sem dúvida alguma o calcanhar de Áquiles deste time e uma das incógnitas para 2018. Vindo de uma temporada como um dos melhores relivers do beisebol, Archie Bradley deve conquistar o posto de closer deixado por La Flecha, porém Torey Lovullo já concedeu entrevista neste Spring Trainning que a disputa pela posição de closer está aberta e não se surpreenda se Boxberger ou Hirano foram escolhidos para o posto.

Chafin e Delgado foram um dos poucos que apresentarem um desempenho aceitável no BP do ano passado e devem manter suas posições como especialistas.

Por fim fica a expectativa pelo desempenho de Jimmie Sherfy, prospecto ranqueado como 13 melhor da organização e que sobe para as majors após boas atuações nas minors.

Apesar de não possuir grandes estrelas, é inegável que este BP deve apresentar resultados muito mais consistentes do que os apresentados em 2017, até porque piorar é realmente difícil. Finalmente temos a possibilidade de possuir um closer de respeito através de Archie Bradley, que redescobriu sua carreira no BP. Independente da melhora no BP, certamente essa será uma das áreas a ser reforçada até o fechamento da janela de transferência, caso os Dbacks estejam almejando voos maiores nos playoffs.

Nota: Novamente Shelby Miller está machucado e ficará um bom tempo de molho, confirmando o status de uma das piores trocas já realizadas em toda a MLB.

Lineup

1 – David Peralta LF (.293/.352/.444) – 14 HR

2 – A.J Pollock CF (.266/.330/.471) – 14 HR

goldie3 – Paul Goldschmidt 1B (.297/.404/.563) – 36 HR

4 – Jake Lamb 3B (.248/.357/.487) – 30 HR

5 – Steven Souza RF (.239/.351/.459) – 30 HR

6 – Alex Avila C (.264/.387/.447) – 14 HR

7 – Ketel Marte SS (.260/.345/.395) – 5 HR

8 – Chris Owings 2B (.268/.299/.442) – 12 HR

9 – SP

Bench

Chris Herrmann – C

Jeff Mathis – OF

Daniel Descalso – 2B

Nick Ahmed – SS

Jarrod Dyson – OF

O lineup do Arizona Diamondbacks é sem dúvida um dos mais regulares e consistentes de toda a MLB, principalmente pela parte alta do ataque que conta com ótimos jogadores.

Abrindo o Lineup temos a dupla David Peralta e A.J Pollock, que sempre apresentam consistência chegando em base e devem anotar muitas corridas com Goldie rebatendo na 3ª posição.

Falando em Goldie, é muito difícil apontar qualquer deficiência em seu jogo, seja na defesa, rebatendo pra contato, força e correndo bases. Uma verdadeira estrela que ancora esse lineup através de um slash line de .297/.404/.563, números ainda mais absurdos quando se observa as 18 bases roubadas e as 120 corridas impulsionadas pelo primeira base. Novamente o 1B deve concorrer ao posto de MVP e ser a estrela deste time.

Na 4ª posição, o canhoto Jake Lamb ainda apresenta muitos altos e baixos no bastão e aliado a sua fraca defesa é um ponto preocupante do lineup ds dbacks que é necessário ficar de olho.

Steven Souza Jr chega para suprir a ausência de J.D Martinez, tarefa ingrata quando estamos falando de um dos principais sluggers da liga, mas Steven não deve fazer feio e deve mandar várias bolas para o outro lado do muro no Chase Field.

Alex Avila é exatamente o tipo de contratação desnecessária e que dificilmente acrescentará algo a este line-up. Com um bastão e uma defesa medíocre, é seguro dizer que a posição de catcher estaria igualmente preenchida com Herrmann ou Mathis. Na pior das hipóteses seriam economizados R$2.000.000,00 sem esta contratação. Na posição de catcher a expectativa era justamente por um upgrade na posição, algo que seria atingido através da aquisição de Lucroy ou Realmuto.

Na posição de SS, há uma grande expectativa pelo desempenho de Ketel Marte, jovem jogador adquirido na troca envolvendo Jean Segura para o Mariners. Com defesa sólida, bom contato no bastão e um aumento na sua potência, Marte é uma boa aposta para uma breakout season. Olho no jovem SS e no seu desempenho.

Fechando o line-up, Chirs Owings, que Segundo Torey Lovullo, está sendo preparado pra ser um verdadeira coringa neste time, jogando no OF e em todas as posições do INF. Apesar da versatilidade, Owings deixa a desejar em vários aspectos e novamente deve irritar pelos constantes erros de defesa e o desempenho irregular com o bastão.

Para 2018, é inegável a perda de qualidade com a saída de J.D Martinez, mas basta lembrar que o RF fez apenas 62 jogos com o Arizona e a campanha rumo ao WildCard foi construído por este mesmo line-up ao longo de 2017. Steven Souza Jr já é um grande upgrade em relação a Tasmany Tomas e Ketel Marte pode ser um diferencial neste consistente line-up.

O banco de reservas não possui grandes opções, mas todo torcedor já sabe o que esperar destes jogadores. Velocidade em base com Dyson, versatilidade de Descalso, defesa monstruosa de Ahmed, alguns bons jogos de Herrmann e muita irritação com Mathis.

Previsões da temporada

MVP – Paul Goldschmidt !! Sempre candidato, deve novamente se estabelecer com um dos melhores jogadores da MLB e finalmente ganhar o já merecido prêmio de MVP.

robbie ray– Pronto para Estrelato – Robbie Ray – Finalmente demonstrando todo seu “Stuff”, pode ser transformado em uma produção ao nível de um ace. Novamente deve cuidar do controle dos seus arremessos, mas tem tudo para emplacar com mais uma sólida temporada e como um dos principais pitchers da MLB.

Reforço que pode fazer a diferença – Brad Boxberger e Yoshihisa Hirano – Em um BP lastimável, qualquer reforço minimamente decente será que grande valia neste setor. As duas contratações devem trazer mais profundidade, e aliada a saída de Rodney é um boa aposta de grande melhora.

Sáida que fará falta – J.D Martinez – Um jogador que bate 29 HRs em 62 jogos com uma slash line de .302/.366/.741 faz falta em qualquer time do mundo. Infelizmente, a pedida salarial foi fora da realidade do que os Dbacks podem pagar e os HRs de Martinez devem fazer a festa da torcida dos RedSox.

Precisa de um ano melhor – Jake Lamb – Lamb altera muito momentos de alta performance e baixa, o que em geral é normal e compensável para uma série de jogadores com a defesa acima da média, o que claramente não é o caso de Lamb.

Top Prospect – A farm é tão ruim que Pavin Smith draftado em 2017 foi diretamente alçado a posição de top prospect da organização, o que dá a correta dimensão da terra arrasada que é a farm system dos Dbacks.

qtkhwlsfjvaixad-20150609192520

Com era previsto para 2018, a atenção de volta para o RHP Taylor Clarke, que pode fazer sua estreia na MLB caso algum jogador da rotação se lesione. Além de Clarke, outros três jogadores chamam a atenção. São eles o OF Socrates Brito, que já teve passagem pela MLB e voltou para a MiLB após uma grave lesão, o IF Ildemaro Vargas, que pode aparecer tanto como 2B quanto SS dependendo do desempenho de Marte e Owings, e, por fim, o OF Christian Walker, que, após anos frustrando a torcida como prospect, finalmente apresentou uma boa temporada nas minors, rebatendo .309/.382/.597 com 32 HR e 114 RBI pelo Reno Aces, afiliado dos Dbacks na AAA. De qualquer maneira não é uma farm que possibilidade grandes movimentos e segundo Mike Hazen (General Manager), é necessário tomar cuidado a política “Win Now” em detretimento a farm dos dbacks, ou seja, não esperem loucuras e trades envolvendo os poucos prospectos de Arizona.EXPECTATIVA

Com uma sólida rotação e um forte ataque, o Arizona Diamondbacks deve novamente brigar por uma vaga no WildCard e, quem sabe, até incomodar os Dodgers na briga pela divisão.

Novamente o ponto fraco do time é o bullpen, porém a offseason foi focada em resolver este problema através da saída de Rodney e as contratações de Boxberger e Hirano, além da grande expectativa sobre Archie Bradley.

O Ataque voltará a ser um dos mais fortes da NL, mesmo sem J.D Martinez. A grande verdade é que quem tem Goldie nada deve temer, o estrelar primeira base deve fazer mais um temporada monstruosa e liderar o ataque aos playoffs.

Uma das melhores rotações da MLB sem o hype de outros times deve novamente apresentar bons resultados e ser consistente. Muita atenção ao desempenho de Robbie Ray, uma vez que suas atuações podem transformar as chances de playoff em pó ou colocar de vez os Dbacks como forte candidato a WS.

A série de “Previews” da MLB é um oferecimento do blog Major Sports. Nesta matéria tivemos a colaboração de Matheus Coso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s