basketball

Preview: NBA Playoffs

Começa Hoje 14/02 os playoffs da NBA e o Vítor Silva fez uma análise dos 8 confrontos. Confira nossa prévia para esse embate.

 

Conferência Leste

(1) Toronto Raptors x (8) Washington Wizards (na temporada regular, série empatada em 2-2)

torontoOs canadenses chegam com amplo favoritismo. Embalados pela maior campanha de sua história, Toronto quer apagar a fama de “time de temporada regular”. Terá o que tem de melhor contra um Washington que perdeu muita força com a lesão de John Wall e com Otto Porter Jr incerto para o jogo 1, mas que alcançou os playoffs pelo início de temporada que fez somado a queda do Detroit Pistons que facilitou o caminho para o time da capital.

Chaves para Toronto avançar: contar com seu equilíbrio (#4 em pontos e #6 em pontos sofridos) e que Kyle Lowry não suma na pós-temporada (médias do armador: 14.9 pontos, 4.1 rebotes e 4.8 assistências em playoffs). DeRozan vai ter que carregar esse time mais uma vez se Toronto quiser ter uma sobrevida maior na fase derradeira.

Chaves para Washington avançar: jogar a pressão para o outro lado e dar um fim nas lesões. Com os times 100%, o duelo fica mais equilibrado. Wall e Beal terão que cobrir muitos defeitos deste time e Marcin Gortat precisa aparecer (está muito abaixo do que pode render). Vale lembrar que os Wizards já varreram os Raptors há três anos nessa mesma fase.

Calculadoras apontam: Raptors 4-1

(2) Boston Celtics x (7) Milwaukee Bucks (na temporada regular, série empatada em 2-2)

celticsBoston liderou a liga no início, mas as lesões impediram um domínio maior dos celtas. Sem Kyrie Irving e Gordon Hayward, os principais reforços da temporada, o time terá muito trabalho contra o jovem Milwaukee Bucks, que mudou de patamar após a queda de Jason Kidd, chega como franco atirador e terá em Giannis Antetokounmpo sua principal arma para surpreender a NBA.

Chaves para Boston avançar: defesa. Boston sempre esteve entre os melhores no quesito e precisará mais do que nunca deste fundamento para anular os Bucks. Um jogo coletivo bem aplicado será de extrema valia, tendo em vista que Boston leva vantagem em quase todos os requisitos contra seu adversário.

Chaves para Milwaukee avançar: eficiência. Milwaukee terminou o campeonato com o terceiro melhor aproveitamento nos chutes de quadra entre os 30 times do campeonato (47,8% de acerto). Um jogo preciso pode desequilibrar a favor de Grego e cia. E Antetokounmpo terá que se desdobrar. Mas agora terá uma base melhor para ajudá-lo. A volta de Malcom Brogdon pode dar o gás que falta vindo do banco.

Calculadoras apontam: Celtics 4-2

(3) Philadelphia 76ers x (6) Miami Heat (na temporada regular, série empatada em 2-2)

philaA juventude contra a experiência. Depois de 6 anos, Phila volta aos playoffs após o processo que culminou em tanks e mais tanks. Com um time muito talentoso, mas sem rodagem, os Sixers terão um cascudo Miami Heat que retorna a pós-temporada na volta de Dwyane Wade a Flórida. Um conjunto montado por Erik Spoelstra que tem como virtude uma defesa sólida para parar Ben Simmons e cia.

Chaves para Philadelphia avançar: não deixar a empolgação tomar conta e a hype subir a cabeça. Phila tem uma equipe muito boa, mas que ainda não conhece o caminho das pedras. Castigar o garrafão será a constante da série. A expectativa em torno de Simmons, Embiid, Saric, Fultz e cia será altíssima. Vale lembrar que o mais velho deste elenco são J.J. Redick e Marco Belinelli.

Chaves para Miami avançar: ser cirúrgico e aproveitar dos erros que o outro lado certamente irá cometer. No papel fica atrás, mas não se pode menosprezar times que tem bagagem em várias dessas situações. Em sua última aparição em pós-temporada, Miami levou as duas séries para 7 jogos, mostrando que é um adversário duro de ser batido. Se Whiteside voltar 100%, o Heat poderá combater os rebotes contra o melhor time da liga no quesito.

Calculadoras apontam: Phila 4-3

(4) Cleveland Cavaliers x (5) Indiana Pacers (na temporada regular, IND venceu por 3-1)

cavsOscilou e passou em uma posição que poucos apontavam no início do campeonato. Cleveland, muito graças a LeBron James, lutará contra um surpreendente Indiana Pacers, que era outro que ninguém dizia que estaria nos playoffs e quase pegando mando de quadra. E sem Paul George, com Victor Oladipo assumindo o protagonismo ao lado de outras ótimas peças.

Chaves para Cleveland avançar: LeBron James. Simples. O homem nunca foi eliminado na primeira rodada e o Leste está sob o seu domínio desde 2011. Caso o elenco de apoio jogar o que sabe, os Cavs estarão com a vaga encaminhada. A contratação emergencial de Kendrick Perkins pode ser a chave para ajudar na defesa interior, já que Tristan Thompson caiu demais nesse campeonato.

Chaves para Indiana avançar: apostar no coletivo e anular os alvos de LBJ. Se conseguir pará-los e neutralizar James até onde der, as chances dos Pacers aumentam. Os Cavs terminaram a temporada entre as piores defesas da liga (109.9 pontos cedidos por jogo) e o retrospecto atual pode ajudar. Como a pressão estará toda do outro lado, isso pode beneficiar. Como Oladipo reagirá ao protagonismo em playoffs será um dos fatores desta série.

Calculadoras apontam: Cavaliers 4-2

 

Conferência Oeste

(1) Houston Rockets x (8) Minnesota Timberwolves (na temporada regular, HOU venceu os quatro jogos)

rocketsOs Rockets já estavam com a sua vida resolvida a um bom tempo e com a melhor campanha do Oeste garantida. Com isso, o treinador Mike D’Antoni utilizou os últimos jogos da temporada para poupar as suas estrelas e rodar o seu elenco. Já os Wolves conseguiram a classificação em um jogo emocionante com direito a prorrogação contra o Denver Nuggets. Os playoffs começaram mais cedo lá em Minnesota.

Chaves para o time do Rockets avançar: o time possui um ataque feroz. É o segundo da liga em pontos (112,4) e o primeiro em tentativas e aproveitamento (FG) do perímetro, mas não costuma jogar muito espaçado por lá. Com exceção ao Capela e ao “Nenegro”, todos os jogadores que fazem parte da rotação tem bom chute de média e longa distância (teve mais cestas de 3 convertidas do que de 2 em todo o campeonato, inclusive). Se mantiver esses números e uma boa participação ofensiva de Ariza, Gordon, Anderson, Joe Johnson e até mesmo P.J. Tucker, com certeza irá castigar a defesa dos Lobos. O pick and roll com Capela também costuma incomodar as defesas adversárias.

Chaves para o time dos Wolves avançar: para os Wolves a questão é bem simples: tentar parar James Harden (30,4 pts, 5,4 reb e 8,8 ast), Chris Paul (18,6 pts, 5,4 reb e 7,9 ast) e o jogo do perímetro. Mais uma vez Jimmy boy (22,2 pts, 5,3 reb e 4,9 ast) terá que “se virar nos 30” no ataque e principalmente na defesa, onde terá que parar o Barba ou pelo menos segurar a pontuação do mesmo para menos de 30 pontos. O potencial ofensivo dos Rockets é conhecido de todos, mas todo time tem a sua fragilidade. Nesse caso é a defesa texana, que cedeu quase 104 pontos de média (103.9). Quem possui um pivô como Karl-Anthony Towns (21,3 pts, 12,3 reb e 2,4 ast) tem por obrigação forçar o jogo no garrafão, onde o mesmo pode gerar espaço para os companheiros. E aí meu queridão Wiggins, será que o senhor vai nos mostrar por que foi uma primeira pick de draft?

Calculadoras apontam: 4-2 Houston

(2) Golden State Warriors x (7) San Antonio Spurs (na temporada regular, GS venceu por 3-1)

gswContusões e mais contusões no atual campeão e favorito ao título desta temporada. Para piorar, o Warriors não vai contar com o craque Stephen Curry na primeira rodada dos playoffs. Pelo alvinegro texano, o time teve uma temporada muito inconstante com muitos altos e baixos, mas conseguiu uma boa sequência de vitórias como mandante no final da temporada para se garantir entre os oito melhores do Oeste pela 20ª vez seguida, mas a sequência de temporadas com 50 ou mais vitórias foi quebrada.

Chaves para o Warriors avançar: sem Chef Curry o time do Warriors perde muito ofensivamente, principalmente no perímetro. O jogo certamente ficará concentrado em Kevin Durant (26,4 pts, 6,8 reb e 5,4 ast) como foi nos playoffs do ano passado, contando com o camisa #30 dentro de quadra. O ala-armador Klay Thompson (20 ppg) terá que ser mais participativo na pontuação para compensar a falta de Curry. Iguodala e Livingston terão papel importantíssimo saindo do banco de reservas. E Green, mais uma vez, terá uma missão difícil em suas mãos, que é parar LaMarcus Aldridge.

Chaves para o Spurs avançar: parar o jogo ofensivo do GSW, que foi o número 1 da liga com 113.5 ppg. Para isso, é fundamental uma marcação pesada em Kevin Durant e principalmente no ala-pivô Draymond Green (11 pts, 7,6 reb e 7,3 ast), que é a espinha dorsal que faz o GSW jogar. Explorar o frágil garrafão dos Warriors pode gerar uma boa pontuação a favor dos texanos. Por isso LaMarcus Aldridge (23.1 pts e 8,5 reb) é uma peça de grande importância. Não perder no AT&T Center, onde o time mostrou força nos últimos jogos da temporada regular, além de fazer valer o jogo coletivo com muitas trocas de passes e posicionamento.

Calculadoras apontam: 4-3 Warriors

(3) Portland Trail Blazers x (6) New Orleans Pelicans (na temporada regular, POR venceu por 2-1)

blazersO time do Oregon teve um começo de temporada bastante irregular. Por várias rodadas ficou fora da zona de classificação aos playoffs, mas depois do All-Star Break o time é praticamente perfeito. Terminar a temporada como seed 3 é uma grande surpresa. Um prêmio para esse craque de bola que é o armador Damian Lillard. Do outro lado, mais uma vez o “Monocelha” cala os seus haters e mostra porque é considerado um dos melhores jogadores da liga. Mesmo sem DeMarcus Cousins, conseguiu levar NOLA aos playoffs. Essa é uma das séries mais complicadas de se determinar um possível resultado

Chaves para os Blazers avançar: segurar Jrue Holiday (19 pts e 6 ast) no perímetro, pois ele é o responsável por matar bolas longas (idem para Nikola Mirotic) e de quebra alimentar AD no garrafão. Nurkic terá uma missão difícil, que é parar o pivô adversário. Lillard (26,9 pts, 4,5 reb e 6,6 ast), C.J. McCollum e Evan Turner terão mais facilidade para trabalhar no perímetro e na meia distância, pois infiltrar com o Davis esperando embaixo do garrafão não é um bom negócio.

Chaves para o Pelicans avançar: Davis, Davis e Davis (28,1 pts e 11,1 reb). O jogo gira em torno do Monocelha. Nos Blazers não há um pivô com capacidade de pará-lo, por mais esforçado que seja Jusuf Nurkic. O jogo do perímetro terá que funcionar dos dois lados da quadra: ofensivamente para que possa dar um desafogo ao Davis, e defensivamente para tentar parar as ofensivas da dupla Lillard-McCollum.

Calculadoras apontam: 4-2 Blazers

(4) Oklahoma City Thunder x (5) Utah Jazz (na temporada regular, OKC venceu por 3-1)

jazzO OKC, graças a uma combinação de resultados, ainda conseguiu ficar com a quarta vaga e o mando de quadra na primeira rodada. Westbrook conseguiu pelo segundo ano consecutivo terminar com médias de triplo-duplo. Já Utah teve muitos problemas de contusões no início do certame, perdendo peças titulares como Rudy Gobert e Ricky Rubio, mas as coisas se acertaram a partir do mês de janeiro e de lá para cá o time tem uma campanha invejável.

Chaves para o OKC avançar: a pós temporada diz “oi” para o queridíssimo Carmelo (16,2 pts) e pede para que o mesmo volte a jogar em alto nível. Westbrook (25,4 pts, 10,1 reb e 10,3 ast) precisar jogar coletivamente, pois se jogar no estilo vaca louca vai bater de frente com Gobert protegendo o aro. O banco, setor considerados por muitos o mais fraco, terá que contribuir para que a equipe tenha êxito. Por último, segurar o calouro Mitchell.

Chaves para o Jazz avançar: jogar no garrafão com Gobert e Derrick Favors. Por mais que Steven Adams seja esforçado, o time não tem um segundo jogador qualificado para fazer essa função. Westbrook tem os seus defeitos, mas em algum momento ele vai conseguir fazer o seu jogo. Por isso, uma marcação efetiva no ala Paul George é necessária pois com certeza ele será o cara responsável por desafogar a favor do Thunder. A defesa do Jazz é uma das melhores da liga e este é o momento de mostrar isso para todos. E seja bem-vindo aos playoffs, Mitchell (20,5 pts). Basta manter o nível e a pontuação da temporada regular.

Calculadoras apontam: 4-2 Jazz

 

Vitor Silva, o @chaveatle, é colunista do power ranking da NBA e fez essa análise dos playoffs, exclusivamente para o blog MAJOR SPORTS.

2 respostas »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s