baseball

O ano de Sir DIDI GREGORIOUS!

IMG-20180505-WA0107

Para maioria dos Bombers ou YankeeS fans, Derek Jeter fora unanimidade por quase 20 anos, com sua liderança, carisma com a torcida e aparições em momentos decisivos, vide seu apelido de Mr. October até o fim de sua carreira, com o WalkOff Single contra os Orioles (CPF NA NOTA VITÃO?). Sempre achávamos que talvez não encontraríamos um substituto à sua altura, mas veio mais rápido do que imaginávamos. Me lembro bem, era o primeiro dia do Winter Meetings, 5 de Dezembro de 2014, um dia chuvoso e estava dentro da cozinha quando recebi o alerta no celular: Yankees Traded Shane Greene for Tigers , Arizona DiamondBacks traded Didi Gregorius to Yankees and Detroit Tigers Traded , Robbie Ray and Domingo Leyba to Dbacks, na hora sem pestanejar eu entrei no whatsapp e já comecei a xingar, como Cashman trocava a maior revelação entre Pitchers desde Joba Chamberlain (Idolo eterno de Guilherme Marodin) por um prospecto xexelento do Dbacks, cornetei na época (estilo Sr Paulo nos dias de hoje) mas essa historia começa bem antes de tudo isso.

Amsterdã, 18 de fevereiro de 1990, filho de Johannes Gregorius e Sheritsa Stroop, Mariekson Julius(Didi) Gregorius , filho de um Pitcher do Amsterdã Pirates e de uma jogadora da seleção Holandesa de Softball, sendo que seu avô paterno foi um dos maiores arremessadores de Curaçao no século 20. Mudou-se para Curaçao aos 5 anos de idade, onde dividia o baseball juntamente com o futebol e o basquete. De uma família oriunda do esporte sendo que seu irmão mais velho também arremessava pela seleção holandesa e jogava na Liga Italiana, Didi não teve por onde correr, o esporte estava enraizado na sua família e cultura, traçando um paralelo como um brasileiro que nasce numa família de jogadores de futebol (ex Djalminha).

IMG-20180505-WA0110

Aos 19 anos fora escolhido na free agency internacional pelo Sarasota Reds, time da Gulf Coast League dos Reds de Cincinnati, Didi não teve um ótimo ano de estréia nas ligas menores, mas em seu segundo ano produziu algo espetacular, em 275 idas ao bastão teve 82 rebatidas e um aproveitamento de AVG .298, então, de 2009 até sua estréia nas grandes ligas na expansão dos elencos em 2012, Didi teve estes números:

DIDI GREGORIUS 2009a2012 MINOR LEAGUE
AT BAT 1638
AVG 281
RBI 157
HITS 455
RUNS 223
TB 638

A grande reviravolta ocorreu no inverno de 2012, trocado duas vezes de time no mesmo dia, primeiro Didi foi parar em Clevland em uma troca que mandou o OF SHIN-SOO CHOO e Jason Donald (quem seria esse na fila do pão hoje em dia) e Drew Stubbs e o próprio Didi para Clevland, não contentes, os Indians trocaram Didi com os Dbacks juntamente com 1B Lars Anderson, LHP Tony Sipp e receberam na volta o RHP Matt Albers, RHP Trevor Bauer e RHP Bryan Shaw (Percebam que troca valiosa dos Indians).

Logo após sua chegada em Arizona e ao termino do Spring Training daquele ano de 2013, Didi fora mandado para lista de contundidos, voltando 1 mês depois para não sair mais das grandes ligas. Teve seu melhor ano em Arizona em 2013 com avg de .252 e 28 Rbi, já em 2014, começou o ano nas ligas menores, voltando no meio da temporada e jogando apenas 80 jogos e poucas idas ao bastão. Então chegamos ao dia 5 de Dezembro de 2014, se estou bem lembrado a primeira pessoa que me perguntou que raios é Didi Gregorius foi nosso patrão, o “Vô”, eu também no sabia ao certo, lembrava que o sonho de Eppler (Hoje Gm dos Angels) e Cashman era montar uma base forte, tanto que um ano depois foram ate Minessotta buscar Hicks e todo aquele rebuilt geral que fora feito em contratos com aposentadorias e tudo mais. Eu não apostava uma dúzia de balas em Didi, afinal como já dito, estava acostumado com Jeter, mas Girardi sabia o que estava fazendo e certamente sabia quem ele poderia se tornar, o potencial desse jogador e hoje em dia temos a prova, os números não mentem (AGORA OS LETRADO PIRA, IMPRENSA MARROM CHORA)

IMG-20180505-WA0108

Abaixo mostramos a evolução ofensiva de Gregorius nos três primeiros anos e vimos o quão importante ele se tornou no time de Nova Iorque. Já em 2016, mesmo com os Yankees ficando fora da pós temporada, seus números mostram uma evolução absurda em relação a 2015, mas o maior salto já se via em 2017, batendo recordes de Jeter como o de SS com mais HR em uma temporada na historia dos Yankees, com seu posto no lineup variando entre 4 e 5, sendo crucial para o ataque na segunda metade da temporada e inclusive na serie contra os Indians, afinal com Judge e Sanchez quase sempre chegando a base, seus hits o levaram a um número impressionante de RBI.

NUMEROS DE DIDI NOS 3 PRIMEIROS ANOS

ANO G AB H R HR RBI AVG OPS
2015 155 525 139 57 9 56 265 688
2016 153 562 155 68 20 70 276 751
2017 136 534 153 73 25 87 287 796

Porém o mais importante se desenha nesses quase 35 jogos da temporada de 2018, utilizamos números de amostragem até 4 de Maio. Com a chegada de Stanton, a evolução meteórica de Judge em 2017 e Gary Sanchez tecnicamente mais magro (mas continuando a fazer merda com seus PB), muitos achavam que Didi iria sucumbir, mas não, com um Stanton apagado nos primeiros jogos, batendo abaixo de .200 e Gary Sanchez também não se encontrando, foi a hora de Didi estourar e carregar o ataque dos Yankees no mês de Abril, alçado a posição 3 do lineup e deixando Stanton e Sanchez para trás, Didi tomou conta da parada com defesas impressionantes e paciência em cada AtBat, ele cavou seu lugar em NY, hoje, hipócritas são aqueles que dizem ter saudades de Jeter ou (vou até mais além) de Nunez ou um outro peba que era de Boston que nem vou ter o trabalho de lembrar o seu nome.

IMG-20180505-WA0109

NÚMEROS DE DIDI ATE 4 DE MAIO DE 2018

ANO G AB H R HR RBI AVG OPS
2018 32 116 37 27 10 30 319 1084

Com esses números e toda essa produção, podemos dizer que ele esta sendo vital para o ataque de NYY, já considerado o jogador do mês de Abril na Liga Americana, Didi esta próximo com toda certeza de ser All Star este ano, porém a competição é árdua, concorrendo com Correa e Lindor na AL. Alguns acham surpreendente esta temporada, este que vos escreve e que mais uma vez queimou a língua com escolhas do Sr Cashman no passado vos diz que não, pois a evolução do seu jogo é tremenda, seu potencial e juventude tem tudo para fazer história no Bronx, até porque o maior prospecto dos Yankees tratado como jóia e SS, Glayber Torres, já fora demovido para a posição de 2B.

Como eu escrevi há 2 meses atrás, Andrelton Simmons são as defesas e Gregorius é o ataque, talvez a seleção Holandesa seja a melhor do mundo quando falamos em “middle infield”. Para encerrar eu queria me utilizar de um pensamento do PAI MEI: “Não julgue o potencial de um profissional sem antes ele lhe provar algo”

Hoje peço desculpas pelas criticas proferidas ao Sr Gregorius quando ele chegou em NY.

Luis “Chef” Guilherme, torcedor fanático do Yankees e mentor do @teclasnaveia no quesito Cornetagem. Escreve especialmente para o blog MAJOR SPORTS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s