baseball

Fantasia no Ar #19 – Estratégia.

Amigos viciados em Fantasy. Como a assunto no momento é os arremessadores de Tampa Bay e o sistema adotado por Kevin Cash, o texto vai destrinchar um pouco de como isso reflete no game. Simbora:

O conceito de estratégia…

rays… em inglês: strategy… E não preciso parafrasear completamente o trecho do clássico ‘Tropa de Elite’ para mostrar do que falaremos sobre o fantasy. Explicando de maneira sucinta: uma mistura de falta de arremessadores de rotação e os sabermetrics com os relievers que a equipe do Tampa Bay Rays inovou ao começar um jogo com Sergio Romo contra os Angels. Acabou rendendo bronca de Zack Cozart, mas águas passadas. Contra Baltimore, isso foi aplicado em toda a série com Romo (2 vezes) e Ryne Stanek começando os jogos para o abridor do jogo entrar a partir do quinto, sexto duelo contra o lineup adversário.

Como isso afeta no fantasy? É simples: é um arremessador que vai começar, que não terá quality start e muito menos sairá com a vitória, fazendo com que o pitcher da rotação entre em sequência para continuar os trabalhos e que possivelmente fique com a vitória caso as coisas deem muito certo. Caso contrário, se o ‘abridor’ do jogo não for bem, a bronca cai nele.

Em quesito de jogo, é grande as chances de RP e SP receberem slot adicionais. O que nos tempos de hoje, escutar ou ler que Sergio Romo abra um jogo era totalmente inimaginável. Para quem tem abridor é uma boa, pois pode aumentar ‘sem querer’ sua rotação no game sem precisar buscar outros nomes no bacião.

Se esse esquema funcionar e outras equipes aderirem cabe em um outro texto de maior análise, que não vem ao caso aqui. Por mais que seja uma novidade, demanda tempo até saber se isso será a nova cultura (ou um paradigma a ser quebrado) no beisebol.

De corrida em corrida: Jurickson Profar (SS/OF – Texas Rangers)

profarSão 4 corridas anotadas e 6 impulsionadas só na semana passada. A volta de Elvis Andrus ainda irá demorar mais um pouco, mas Profar vem suprindo (se não a altura) bem, de certa forma. SS é posição rara para bons jogadores que produzam ofensivamente. E quando está em momentos bons tem que aproveitar.

Voltou bem: Josh Harrison (2B/3B – Pittsburgh Pirates)

harrisonO mito dos roubos de base voltou. Em 6 partidas, aproveitamento ótimo no bastão de 35,7%, 4 RBI e 2 corridas anotadas. Com a lacuna na segunda base preenchida com uma boa peça, Harrison vai compensar a paciência de quem segurou o camisa #5 ou pescou no bacião na hora certa.

Ganhou a disputa: Mitch Moreland (1B/DH – Boston Red Sox)

morelandAté o momento da dispensa de Hanley Ramirez, poucos entendiam o porquê de dispensar o atleta. Se um mês ruim fosse parâmetro, o que teria que jogador na fila do desemprego era fora do comum. Com isso, alguém iria se beneficiar. E Moreland ganhou a vaga e pelo menos nos jogos que atuou sem nenhuma sombra fez a torcida de Boston esquecer o antigo dono da posição (6-17, 2 HR, 5 RBI e 3 R). Agora se vai durar, é outra história.

Conforto, né?: Brandon Nimmo (OF – New York Mets)

nimmoAtaque com as principais peças alternando mais partidas ruins do que boas e dos poucos que aparecem para ajudar, um nome ganhou destaque pela produção ofensiva: Brandon Nimmo. Ele está rebatendo, e bem (7-24, 2 HR, 2 RBI e 5 R). Com tanto OF em baixa, não custa arriscar nele.

Deixou seu jogo em Ohio: Jay Bruce (OF – New York Mets)

bruceNada efetivo e sem converter as rebatidas em Home Runs (3 em 38 apenas). Bruce não é famoso por ter alto aproveitamento, mas a queda no seu jogo é considerável. Ainda segue no time mesmo em má fase, mas não se espante caso ganhe mais tempo no banco.

Pindaíba: Trey Mancini (1B/OF – Baltimore Orioles)

treyNão consegue produzir em nenhum requisito, seja ataque ou defesa, e a má fase atrapalha a ponto de perder a condição de leadoff dos O’s. A paciência é uma virtude, sim. Tanto que foi assim, após passar um tempo abaixo da crista da onda, que o camisa #16 recuperou seu espaço e não saiu mais do time. Mas o momento é de cautela.

Deu ruim, outra vez: Welington Castillo (C – Chicago White Sox)

castilloCanó na semana passada e agora Castillo nessa. Pego no doping por PEDs (ou esteróides), 80 jogos de gancho para o catcher. Ao contrário do segunda base de Seattle, o ‘Beef’ não vinha bem e está abaixo comparado a 2017. Ainda volta na reta final do certame. Mas com jogador assim, a desconfiança toma conta.

Na força do bigode: Daniel Mengden (SP – Oakland Athletics)

mengdenPós-jogo onde a recomendação era não arriscar no ‘el bigodón’, foram apenas 4 corridas merecidas em 5 jogos que começou (3-1 na campanha) com direito a um CG shutout contra o ataque dos Diamondbacks. Se demorou para mostrar que tem talento, não poderia chegar em melhor hora.

Compensou esperar e surpreendeu: Joe Musgrove (SP/RP – Pittsburgh Pirates)

musgruveFicou de fora por tratar de lesão e só estreou na semana passada contra os Cardinals. Musgrove fez partida de gente grande, mostrando que a água de Pittsburgh para pitcher é mágica nível ‘Space Jam’ ou foi um acidente de percurso. Fato é que ele chamou a atenção. Mas, como o imediatismo tomou conta do século 21, não fique bravo caso ele vá mal no próximo jogo.

Sinal amarelo ligado?: CC Sabathia (SP – New York Yankees)

ccA oscilação é grande em torno de Sabathia. De partidas boas contra os Indians, por exemplo, a ceder 7 corridas para os Rangers. E mesmo assim, seu ERA ainda é aceitável até aqui (3.55). Tudo é questão de saber aproveitar as chances. E de uma coisa é certa: pior que Sonny Gray ele não está.

Quem pode despontar na semana 9 (starter pitcher): Ross Stripling (Los Angeles Dodgers)

rossSaiu do bullpen para a rotação e fez duas ótimas partidas (Nationals e Padres). Terá a chance de se firmar contra os Phillies, em casa (projetado para quarta-feira). Qualidade ele mostrou que tem.

Quem pode despontar na semana 9 (relief pitcher): Blake Parker (Los Angeles Angels)

parkerSem Keynan Middleton, recuperou a confiança de ser o homem da nona entrada. Em tese, duelos tranquilos contra Tigers e Rangers. A não ser que aconteça um desastre, Parker é a bola de segurança para quem precisa de bons relievers.

Quem pode despontar na semana 9 (hitter): Marcus Semien (SS – Oakland Athletics)

semienAlternando entre leadoff e #2 do lineup, Semien tem mantido bons números na temporada. Os A’s enfrentam Tampa Bay e Kansas City. Com o ataque de Oakland indo muito bem, Semien pode ser a chave para melhorar seu ataque.

Quem pode ser evitado na semana 9 (pitcher): Zach Godley (Arizona Diamondbacks)

godleySe a fase dos principais nomes dos D-Backs é preocupante, dos bons que surgiram no início da temporada estão caindo vertiginosamente. Zach Godley é um caso. Não ganha a mais de um mês e ainda enfrenta o Cincinnati Reds, que pode não estar nos seus melhores dias, mas está em um ótimo momento, mesmo jogando fora de casa.

Quem pode ser evitado na semana 9 (hitter): Leonys Martin (OF – Detroit Tigers)

martinVoltou de lesão há pouco mais de uma semana e não está jogando absolutamente nada (3-33 no bastão). Detroit terá os Angels e os Blue Jays, ambos em casa. Chance de pensar em outras saídas do bacião.

 

Ligas Roto e H2H #AgoraÉDeus

As maiores ligas de fantasy estão aqui! Confira o resumão da semana com novidades na roto #RebuildÉoCaramba

rotoNa roto ‘15 Zaidans e Teclas Fuhei’, a liderança trocou de dono. O Team Coso (Mário Coso – que ostentará o momento Pai Mei de Junho) lutou, conseguiu o Kluber em trade, demorou, mas passou o Amazing Mets BR (Rangel Silva) e comanda a roto. Outro destaque é o Artur’s Team (Artur Ferreira) que consolidou a terceira colocação e ainda pensa em melhorar sua equipe para assegurar sua vaga na Libertadores #FlamengoContrataOArtur
Resultados depois de 8 semanas – retirado dia 28/05/18

Na H2H ‘100WinsFail’, quem saiu de férias não teve uma semana feliz na liga. O NYYCLUBISTA OTARIÃO (Luis ‘Chef’ Guilherme) levou uma cacetada do 51 eh pinga (Rodrigo Forte) na sua estadia em terras pernambucanas. Não só ele como o Chaveatle Donkeys (Vitor Silva) brigam para fugir de La B.
pontosResultados da semana 8 – retirados dia 28/05/18

Fechando com a liga por pontos ‘Monstros Sagrados’, caíram os invictos. O Nola CY (Anderson Proença) perdeu e o time que não sei traduzir (Ricardo Nozuma) bateu em alguém e já mira o título ou empurrar a lanterna para o Metão da Nação (Rangel Silva). Agora a liderança pertence ao Trigo Machine (Thiago Luiz) e mais 3 equipes.
pointsResultados da semana 8 – retirados dia 21/05/18

See ya!

 

É isso aí galera, caso tenham alguma dica, sugestão, ou dúvida, podem encaminhar para o perfil do Vitor no twitter @chaveatle, nosso especialista em fantasy está sempre disposto a mentorar novos aprendizes. Vitor Silva escreve esta coluna semanalmente para o blog MAJOR SPORTS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s