especial

Arizona CARDINALS e a sua esperada reformulação!

Por Matheus Coso

Após anos sobre o comando do head coach Bruce Arians (aposentado), o cardinals finalmente dá vida ao já anunciado projeto de reformulação do elenco. Após a aposentadoria de Bruce Arians e do veterano Quarterback Carson Palmer, finalmente é chegado o momento de sacrificar o presente e pensar no futuro.

Para comandar essa reformulação o general manager Steve Keim decidiu apostar em Steve Wilks, que passou as últimas três temporadas em Carolina, das quais uma como coordenador defensivo e duas como Defensive Backs coach. Desta vez Steve Keim decide apostar em um head coach sem nenhuma experiência no cargo na NFL, uma vez que a única experiência de Wilks como head coach foi ainda em 1999 treinando o Savannah State na NCAA Division II.

O desafio de Wilks não é nada simples em sua primeira temporada como head coach. Wilks assumirá um time em reformulação, mas que por um lado possui alguns ótimos jogadores em seu roster. Esta talvez seja a grande dificuldade do seu primeiro ano. Como comandar uma reformulação, sem abdicar de uma hipotética chance de brigar por um Wild Card? Para entendermos melhor essa reformulação é necessário lembrar de dois fatos importantes que desencadearam o processo de renovação.

  1. O anuncio da aposentadoria do veterano Carson Palmer.
  2. A escolha de Josh Rosen no Draft da NFL em 2018.

Após cinco temporadas comandando o ataque do Arizona Cardinals, finalmente PalMito  decide se aposentar após mais uma temporada em que o sonho de Playoffs dos Cardinals é jogado por terra com a lesão de seu quarterback, assim o time se viu obrigado a arriscar no draft de 2018 e acabaram por selecionar o QB mais preparado para a NFL de sua classe: Josh Rosen

Josh RosenJosh Rosen foi escolhido através de um trade-up que custou o primeiro, terceiro e quinto round aos cardinals e embora Sam Bradford tenha sido contratado, parece questão de tempo até Josh Rosen assumir o pocket dos Cardinals. É cedo para criar expectativas, mas tudo leva a crer que Josh Rosen tem tudo para ser um franchise QB e comandar o ataque dos cardinals por um bom tempo.

Além de Rosen, o front office dos cardinals usou o draft para atacar algumas de suas maiores necessidades neste processo de reformulação: OL, CB e WR.

Draft Picks

Round 1, Pick 10 – Josh Rosen, QB, UCLA. 

Round 2, Pick 47 – Christian Kirk, WR, Texas A&M.

Round 3, Pick 97 – Mason Cole, OL, Michigan.

Round 4, Pick 134 – Chase Edmonds, RB, Fordham.

Round 6, Pick 182 – Chris Campbell, CB, Penn State.

Rund 7, Pick 254 – Korey Cunningham, OT, Cincinnati.

Entre os jogadores selecionados destacam-se Christian Kirk, versátil WR que chega para um debilitado corpo de WR e Mason Cole, jogador de linha ofensiva que tem como principal característica a polivalência.

Além dos jogadores draftados, os cardinals tiveram algumas adições importantes nesta temporada, como o quarterback Sam Bradford, que carregará o piano até Josh Rosen assumir e o excelente Justin Pugh (OL) vindo dos giants.

 

Aquisições Notáveis

Sam BradfordQB Sam Bradford (Vikings) – Bradford chega para tampar buraco e a grande questão é quantas partidas serão até Rosen assumir o pocket.

WR Brice Butler (Cowboys) –  Butler chega pra compor o pior setor do time, que é tão fraco de opções que Butler deve conseguir uma vaga de WR2.

FB Derrick Coleman (Falcons) – Coleman chega pra assumir a vaga de FB e deve ser usado com certa regularidade no novo esquema.

QB Mike Glennon (Bears) – Mike Glennon vai ter tempo de sobra para conhecer Papago park, Desert Botanical Garden…

OL Justin Pugh (Giants) – Pugh é sem dúvida a grande contratação da FA! Versátil jogador de OL que chega para assumir a posição de RG e reconstruir um dos piores setores em AZ.

OL Andre Smith (Bengals) – A outra peça do quebra-cabeça da OL! O experiente tackle chega pra assumir a titularidade na posição de RT e deve formar boa dupla com Pugh pelo lado direito. Expectativa pra ver se Smith ainda dá um caldo!

 

ATAQUE 

Quarterback – 9 Sam Bradford;

Running Back – 31 David Johnson;

Larry FitzgeraldWide Receiver – 11 Larry Fitzgerald; Wide Receiver – 13 Christian Kirk; Wide Receiver – 18 Brice Butler;

Tight End – 84 Jermaine Gresham/R.Seals-Jones;

Left Tackle – 74 D.J. Humphries; Left Guard – 76 Mike Iupati; Center – 53 Mason Cole; Right Guard – 67 Justin Pugh; Right Tackle – 71 Andre Smith

 O ataque de Arizona é sem dúvida alguma o maior ponto de interrogação deste time, especialmente pelo fraco corpo de WR, que conta com o lendário Fitzgerald como melhor opção. O futuro HoF deverá ser o principal alvo de Sam Bradford e novamente ficaremos gratos por poder acompanhar mais uma temporada do WR mais talentoso desta liga. Sempre uma opção segura, Fitz é o jogador com menor % de drops desde 2013 (2,69%) e atualmente conta com a bizarra marca de 28 drops na carreira e 36 tackles. Fitz vem de mais uma ótima temporada, na qual conquistou 1,156 jardas e recebeu 6 passes para TD e mesmo com a indecisão na vaga de QB é esperado outro bom ano do monstro Larry Fitzgerald.

As outras opções para o cargo de WR são, J.J Nelson que ainda busca se firmar como uma opção segura após muitos altos e baixos, e Butler, que deve ficar com a vaga de WR2 com a sombra do novato Kirk. Em resumo é uma unidade extremamente fraca e que precisa de atenção nos próximos drafts, ainda mais  levando em consideração a possível aposentadoria de Fitz a qualquer momento.

 O corpo de Tight End do Arizona Cardinals deve ser bem utilizado neste ano e olho em R. Seals-Jones que deve ter papel importante no redzone. Gresham é o outro TE a disposição de Wilks.

David JohnsonApós duas lesões serias e um impasse contratual, David Johnson é a grande esperança deste ataque. O RB entra em seu último ano de contrato de calouro saudável e deve ser a principal arma do time no ataque. Um touro quebrando tackles e uma flecha passando pelos adversários, Johnson deve novamente buscar a marca das 1.000 jardas de recepção e corrida e tem tudo pra ser firmar como o RB mais completo da liga. A extensão contratual não parece que será um problema, já que ambas as partes reafirmam o desejo de renovação e a questão parece ser simplesmente quanto David Johnson irá embolsar após a renovação de Todd Gurley com os Rams por $ 60 milhões de dólares.

A linha ofensiva classificada pela Pro Football Focus como a segunda pior da liga em 2017 está repleta de caras novas e deve passar bem longe dos números de 2017, na qual cedeu a impressionante marca de 217 pressões e -0.21 jardas após o contato dos RBs. Para 2018 o lado direto contará com Pugh e Smith, enquanto Mason Cole deve assumir a posição de AQ Shipley como C. O lado esquerdo ficará protegido por Uipati (RG) e Humphries (LT), que estatisticamente foi o melhor jogador da linha no ano em 2017.

No geral o ataque é classificado como fraco, mas que tem muito potencial de melhoria caso a linha ofensiva funcione e Johnson fique saudável.

 

DEFESA

Ponto forte do time de Glendale, a defesa nos últimos três anos esteve sempre entre as 10 melhores da NFL, juntamente com Broncos e Ravens. A grande questão para a continuidade do sucesso é a mudança de esquema de 3-4 para 4-3, esquema que Wilks implantava em Carolina. Inegavelmente há muito talento no corpo defensivo de Arizona, porém algumas questões precisam ser esclarecias além da mudança de esquema como: quem será o CB2? Markus Golden voltará bem de lesão? Nkemdiche vai finalmente justificar todo seu potencial? Apesar das várias questões a defesa deve ser o ponto forte do time e novamente pode levar esse time mais longe do que o esperado.

Vamos a projeção dos titulares.

Defensive End – 44 Markus Golden; Defensive End – 55 Chandler Jones;

Robert NkemdicheDefensive Tackle – 90 Robert Nkemdiche; Defensive Tackle – 98 Corey Peters;

Linebacker – 43 Haason Reddick; Linebacker – 57 Josh Bynes; Linebacker – 20 Deone Bucannon;

Cornerback – 21 Patrick Peterson; Cornerback – 28 Jamar Taylor;

Safety – 36 Budda Baker; Safety – 41 Antoine Bethea

Iniciando a análise pelo setor mais temido da defesa de Arizona, os Defensive Ends liderados pela estrela Chandler Jones que deve novamente ser um pesadelo para os quarterbacks da liga. Com 17 sacks na temporada de 2017, Jones liderou a liga neste quesito e ainda adicionou 59 tackles e 2 FF em suas estatísticas. A grande verdade sobre Jones é que o jogador não tem todo hype de jogadores como Khalil Mack e Cameron Jordan, mas Jones é consistentemente um defensor elite que vem melhorando ano após ano. Com mais quatro anos de contrato, Chandler Jones é sem dúvida um dos maiores méritos de Steve keim como General Manager.

Se Chandler Jones já é encrenca suficiente, imaginem se Markus Golden ficar saudável nesta temporada? O jogador que perdeu toda a temporada de 2017 busca repetir o ano de 2016, na qual atingiu a marca de 12,5 sacks e 41 tackles. Se saudável Golden e Jones formam certamente uma das duplas mais temidas pelos QBs em toda NFL.

Como Defensive Tackle a grande dúvida é com relação ao desempenho de Nkemdiche, jogador draftado no primeiro round de 2016 e que gera uma boa dose de expectativa desde que foi escolhido. Nkemdiche é simplesmente um monstro fisicamente, mas que ainda não conseguiu demonstrar o seu potencial na liga. Com apenas 17 jogos na NFL e sem nenhum como titular, espera-se finalmente uma breakout season para o atleta, que tornaria a linha defensiva uma verdadeira potência na liga. Para compor a linha defensiva, o experiente Peters deve ficar com a vaga e ser o jogador de menor impacto.

Os linebackers serão Josh Baynes que conseguiu a posição como MLB, Deone Bucannon (WLB) e Haason Reddick (SLB). Sem dúvida há muita juventude, talento e explosão em um grupo que possui Bucannon e Reddick, mas uma dúvida importante é como esses jogadores funcionarão ao longo da temporada? Bucannon, por exemplo alterna ótimos jogos com partidas em que parece completamente desligado. É bom ficar de olho nessa dupla e torcer para que Wilks consiga tirar todo o potencial desses jogadores.

Todo ano a mesma discussão, quem é o melhor CB da liga? Este ano parece que muitos apontam para Xavier Rhodes, mas a constante nesta lista atende por apenas um nome:

Patrick-Peterson-2Patrick Peterson! Sai ano, entra ano e o veterano CB é apontado com possivelmente o melhor CB da liga e a verdade que em termos de consistência não há ninguém melhor que Peterson desde seu draft em 2011. Porém, novamente a estrela parece que ficará sobrecarregada, uma vez que Steve Keim não consegue encontrar o parceiro ideal para Peterson. Este ano tentaremos Jamal Taylor como opção e novamente prevejo dor e sofrimento quando os QBs evitarem Patrick Peterson.

A juventude de Budda Baker e a experiência de Antoine Bethea como safetys tem tudo para ser uma ótima combinação em Arizona. Bakker é jovem, extremamente talentoso, porém só começou alguns jogos na posição de Strong Safety e uma preocupação é seu tamanho para a posição. Bethea não é mais um garoto, mas vem de uma ótima temporada com o Arizona Cardinals e deve ser uma aposta segura em 2018.

Muito talento, muita juventude, um esquema novo e a dúvida sobre quão forte será a unidade defensiva do Arizona Cardinals. É fácil verificar que talento não falta, muito pelo contrário (Peterson, Baker, Bucannon, Reddick, Jones, Nkemdiche e Golden), mas a questão é como este setor vai se comportar neste novo esquema e como Wilks que tem na defesa sua especialidade vai tirar o máximo proveito de tantos jogadores explosivos e jovens. Minha aposta é que veremos uma defesa monstruosa em campo, mas que pode sofrer muito com o tempo de jogo e lesões. Ficar saudável é a chave para quaisquer aspirações de pós temporada.

Especialistas

Kicker – 4 Phil Dawson; Punter – 2 Andy Lee; Long Snapper – 46 Aaron Brewer

Seria um asilo ou a unidade de especialista do Arizona Cardinals? Somados os três jogadores combinam para uma idade de 105 anos e certamente experiência e cabelos brancos não serão um problema aqui. Aguardemos que todos façam um bom trabalho, não enfartem e contribuam com o time.

Análise Geral / Power Ranking / Expectativas          

O time tem muitos jogadores talentosos, mas que no geral tem que cobrir vários gaps do elenco. Não dá para esperar que Fitz e DJ levem o ataque nas costas a temporada toda e que a defesa segure a bronca todo jogo. A verdade é que o time possui inúmeros jogadores extremamente jovens e que podem estourar a qualquer momento, porém é necessário lapida-los e este é o principal objetivo de Wilks em sua primeira temporada com o Arizona Cardinals. Playoffs é um bônus, mas que pode virar realidade dependendo do ajuste do time e especialmente se um tal de Josh Rosen assumir o pocket e botar pra quebrar. 

 

Power Ranking

Jogando em uma divisão que entra ano e sai ano possui um contender é difícil imaginar o time fazendo uma temporada forte com tantas mudanças na comissão técnica e jogadores. Sempre complicado classificar seu time, mas acredito que hoje Cardinals estão na 25 posição no power ranking, a frente de times como Browns, Bills e Bengals, mas atrás dos rivais de divisão Niners e Rams.

Expectativa

A expectativa não é das melhores para a temporada, mas é importante não descartar logo de cara o time de Glendale. Sobre novo comando técnico é possível surpreender e alcançar o Wild Card.

Previsão: 7-9

Range: Entre 6-10 a 9-7

Bônus – Fantasia (Alô Vitor Silva)

Para os amantes do fantasia seguem os jogadores que podem fazer a diferença na sua temporada e que é bom ficar de olho:

MVP: David Johnson (RB) – Vale trade up no fantasy, tentativa de roubo e enganar o amigo com aquela troca 2×1 para conseguir um dos maiores pontuadores do fantasy.

Bust: Sam Bradford (QB) – Sam Bradford sequer consegue se manter saudável e não deve ter muito sucesso com o corpo de WR que possui.

Secure Pack: Larry Fitzgerald é e sempre será o melhor alvo enquanto estiver jogando. Mesmo com marcação dupla, idade nas costas e Sam Bradfor no pocket pode aguardar mais uma temporada sem drops e com mais de 1000 jardas.

Sleepers: Três jogadores requerem atenção especial e podem dar uma turbinada no seu time após o ínicio da temporada:

Josh Rosen (QB) – O QB pode assumir a posição a qualquer momento e ai é loteria, mas o risco/recompensa pode ser absurdo se ele jogar o prometido.

R.Seals-Jones (TE) – Seals-Jones deve ser o principal alvo na redzone esta temporada e promete ser bem envolvido no plano de ataque. Vai pontuar mais que muito TE hypado

Christian Kirk (WR) – O WR draftado neste ano pode emergir a posição de WR2 e pode ser uma opção interessante para a posição de FLEX ou reserva de qualidade.

Abraços a todos os amantes do fantasy e vamo Cardinals

#Bee Red, See Red

#Team Birdgang

 

A série de Previews da NFL é um oferecimento do BLOG MAJOR SPORTS para todos os torcedores e amantes desse esporte maravilho! Siga nosso blog nas redes sociais:

twitter: @blogmajorsports

Facebook.com/majorsports.br

2 respostas »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s