esporte

NFL 100 – Surpresas e Decepções (Temporada Regular)

Depois de 17 semanas, a centésima temporada regular da NFL chega ao fim. Neste post, quem foi acima do esperado e quem foi abaixo da crítica terão seu espaço.

Muitas apostas são feitas antes do pontapé inicial do campeonato. Algumas se concretizam, outras fazem pessoas se darem muito bem com um palpite improvável ou quebrarem a cara quando o que parece concreto não sai como o esperado.

Aqui, terá a lista de positivo e negativo. Buscar os pontos para mostrar o porque do resultado, seja alegria ou frustração.

Aviso: a prévia dos playoffs sairá no final de semana!

Dito tudo isso, hora de destrinchar as surpresas de 2019:

San Francisco 49ers

– Campanha (13-3; campeão da NFC West; seed #1 da conferência)
A retomada poderia ser em 2018 não fosse a lesão precoce de Jimmy Garoppolo. Com a segunda escolha geral do draft, buscou Nick Bosa para elevar o nível da defesa. Com Jimmy G saudável, SF começou voando a temporada e foi o último invicto a cair, na semana 10. Jogo corrido sólido, ataque aéreo produtivo e o segundo que mais anotou pontos. Isso sem contar a defesa, que evoluiu para uma das melhores da NFL. Desde 1997, o Niners não ficava com a melhor campanha da NFC. Ótimo trabalho que recolocou SF nos playoffs depois de seis anos.

Baltimore Ravens

– Campanha (14-2; campeão da AFC North; seed #1 da conferência)
Se na Califórnia foi tudo ótimo, em Maryland está totalmente excelente. Lamar Jackson (potencial MVP da temporada), em seu primeiro ano completo no comando de ataque do Ravens, só não fez chover. Novo recorde de jardas terrestres para um QB, um ataque efetivo nas duas frentes e uma defesa que se manteve firme mesmo com as saídas de Terrell Suggs e C.J. Mosley. O time vai para a semana de folga com 12 vitórias seguidas e a melhor campanha em seus 23 anos de existência. On fire, baby!

Buffalo Bills

– Campanha (10-6; segundo colocado na AFC East; seed #5 da conferência)
Mais um ano de Sean McDermott e seu trabalho colhendo os frutos. Josh Allen com mais uma boa temporada e com alvos de confiança como John Brown e Cole Beasley. A garotada de Nova York, que não era esperado uma melhora desse nível, colocou o Bills em um jogo de SNF, por exemplo, algo que não acontecia há bastante tempo. Pode fazer uma graça em janeiro, mas com o amadurecimento da equipe, pode ser uma das forças da AFC na próxima década.

Tennessee Titans

– Campanha (9-7; segundo colocado na AFC South; seed #6 da conferência)
O ano na terra do Elvis pode ser separado em dois momentos. Com Marcus Mariota, foram quatro derrotas em cinco jogos e meio. Mike Vrabel, durante a partida em Denver, colocou Ryan Tannehill em campo e o camisa #17 assumiu o posto. Sem Mariota, o time mudou da água para o vinho. Sete vitórias em dez jogos com A.J. Brown se tornando o alvo principal no ataque e entrando na conversa entre os melhores calouros ofensivos. E claro, o ‘Avatar’ Derrick Henry, que carregou o piano nas trincheiras e fez outra temporada de alto nível, com direito a quebra de recorde pessoal em tentativas (303), jardas terrestres (1540), TDs terrestres (16) e média de jardas corridas por jogo (102.7).

Oakland Raiders

– Campanha (7-9; terceiro colocado na AFC West)
Para quem esperava outro ano abaixo, se enganou. O Raiders fez uma temporada digna, com muito a se observar para o futuro. Uma classe de calouros bem montada e com mais escolhas de draft em 2020, o time se mudará para Las Vegas e lá começar sua guinada para dias melhores sob o comando de Jon Gruden. Em 2019, Oakland teve chance de se classificar até a última rodada, mas as cinco derrotas nos últimos seis jogos pesou. 2020 promete muito.

Falado as surpresas, hora de ir para o outro lado com as decepções:

Los Angeles Rams

– Campanha (9-7; terceiro colocado na NFC West)
O atual vice-campeão do Super Bowl caiu de nível. Todd Gurley muito abaixo do normal, Jared Goff jogando com apenas dois alvos em quase todo o ano (Cooper Kupp e Robert Woods) e a franquia se comprometendo demais no futuro, pois não terá escolhas de primeira rodada até 2022 após a troca que trouxe Jalen Ramsey. A defesa, outro ponto sólido, ficou abaixo do top 10. Temporada melancólica para o último campeão da NFC.

Atlanta Falcons

– Campanha (7-9; segundo colocado na NFC South)
O começo da temporada (1-7) minou qualquer chance de Atlanta em chegar aos playoffs. O curioso é que se trata de um time top 5 em jardas totais, o número #1 em tentativas de passe, terceiro em jardas aéreas e no top 10 em TD por passe. Mesmo com Devonta Freeman jogando regularmente, o ataque terrestre não existiu. Após a folga, o Falcons virou outro time. Mas a reação foi tardia.

Dallas Cowboys

– Campanha (8-8; segundo colocado na NFC East)
No papel, o Cowboys é um ótimo time. Na prática, foi decepcionante. Três vitórias logo de cara contra adversários que não tinham grandes aspirações no campeonato. Quando começaram as buchas, Dallas não conseguiu se sobressair na grande maioria delas. Com o elenco que tem e uma divisão que ‘ninguém queria ganhar’, pode acabar sobrando para o treinador Jason Garrett, que já era bastante contestado, pegar seu boné e o Time da América ter uma nova direção técnica. É muito pouco pelo que o Cowboys tem em mãos.

Chicago Bears

– Campanha (8-8; terceiro colocado na NFC North)
Os olhos cresceram depois de um grande 2018 para os Monsters of Midway. O problema foi acompanhar de perto a regressão ofensiva de um time que é comandado por um discípulo de Andy Reid e vindo com o prêmio de melhor treinador da última temporada. Muitas decisões questionáveis, talentos não aproveitados da maneira correta e Mitchell Trubisky sendo o QB que os adversários gostam. Não fosse a defesa se mantendo no top 10, a situação seria mais catastrófica. Os próximos capítulos na saga por um novo QB voltam na free agency.

Los Angeles Chargers

– Campanha (5-11; último colocado na AFC West)
Que Melvin Gordon fez falta, isso é indiscutível. Que o talento existia em LA, idem. Só que não contavam com uma das piores temporadas da carreira de Philip Rivers. O veterano QB não teve bom ano naquele que pode ser o último no Chargers depois de dedicar toda uma carreira. É triste pelas despedidas que podem acontecer. Resta saber qual a direção a ser tomada para os próximos anos. Situação incerta em Los Angeles.

New York Jets

– Campanha (7-9; terceiro colocado na AFC East)
Teve investimento. Buscou dois free agents cobiçados em C.J. Mosley (LB mais bem pago da NFL) e Le’Veon Bell (RB mais talentoso disponível). Com Adam Gase no comando, uma mente ‘ofensiva’, a chance de sucesso era bem questionável. NY teve um dos piores ataques da liga, justificando todas as dúvidas (com a ressalva que Luke Falk chegou a ser titular, pois Sam Darnold e Trevor Siemian perderam partes da temporada por mononucleose e grave lesão no tornozelo, respectivamente). A defesa contra o jogo corrido foi a melhor notícia do lado verde, não fosse pelo detalhe que Mosley jogou apenas duas partidas. Como será o 2020 do Jets é uma questão bem difícil de responder.

Cleveland Browns

– Campanha (6-10; terceiro colocado na AFC North)
É, com certeza, uma temporada que não justificou toda a empolgação em torno do Browns e um case de insucesso executado com rigor. Começando com Baker Mayfield, o novo QB que deixou ótima impressão na reta final do último campeonato. Antes de começar a temporada, falou bastante demonstrando autoconfiança. O reforço em Odell Beckham Jr, vindo por troca, e acreditar em Kareem Hunt após os episódios extracampo, era a chance de dar um grande passo para se firmar entre os grandes da liga. Mas logo na estreia, derrota em casa. Jogos no horário nobre com apresentações muito ruins e decisões péssimas do comando técnico (sem isentar o Mayfield, que acabou chamando os holofotes para si antes da temporada e deu no que deu). A ‘cereja’ do bolo veio com o defensor Myles Garrett contra o Steelers, em que arrancou o capacete da cabeça de Mason Rudolph e usou como arma para revidar contra o QB. Freddie Kitchens, que foi promovido a head coach, durou apenas uma temporada. Com rumores que OBJ teria pedido para sair e o fiasco como time, não dá para não cravar que o Cleveland Browns 2019 é a maior decepção da temporada.

E você, torcedor. Algum time ficou de fora da lista e merecia entrar? Deixe nos comentários.

Reforçando: fim de semana sairá a prévia dos confrontos dos playoffs da bola oval. Até lá.

Categorias:esporte

1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.