esporte

Série ‘David Ortiz’ – NBA Finals (Anos 90)

Segundo texto da série envolvendo partidas e momentos marcantes do esporte. Hoje, o assunto são as finais da NBA.

O espaço é da bola laranja. As Finais sempre reservam batalhas icônicas e momentos que ficam marcados para os fãs da NBA.

Aqui, serão mostradas (na opinião do MSB) as cinco melhores partidas da série decisiva nos anos 90, onde boa parte daqueles que começou a assistir, afirma que é a era de ouro da liga.

Caso você, mais ‘raiz’ da NBA estranhar a ausência de partidas icônicas, aqui vai uma breve explicação: foram consideradas as partidas como um todo e não momentos isolados, o que guardamos com mais facilidade. Aqui, serão todos os 48 minutos(mais overtime em alguns casos).

Os grandes momentos ganharão seu reconhecimento e terão o espaço devido, mas não agora.

Feito o aviso, os jogos escolhidos são:

#5 – Los Angeles Lakers 93 x 91 Chicago Bulls (1991 Finals, Jogo 1)

O novo time postulante a reinar na NBA contra um nemesis em busca da sexta conquista. A decisão entre Lakers e Bulls foi marcante não só por ser a ‘passagem de bastão’ para Michael Jordan e Chicago começarem uma das dinastias mais incríveis do esporte, como teve atuações memoráveis. Mas no começo, não foi bem assim. Magic Johnson (19p/10r/11a) comandou o experiente Los Angeles em Chicago. Além dele, mais três jogadores passaram dos dez pontos, com destaque para Sam Perkins (22 pts), autor da cesta da vitória. E depois? Depois é história…

#4 – Phoenix Suns 129 x 121 Chicago Bulls (1993 Finals, Jogo 3)

Em toda a história de mais de 60 anos de NBA, apenas duas vezes um jogo das Finais teve três prorrogações. O mais curioso é que o Phoenix Suns esteve nas duas ocasiões. Diferente da primeira vez, a equipe comandada por Charles Barkley (24p/17r) ganhou uma partida maluca e com atuação louvável de Dan Majerle (28 pts), que acertou mais cestas triplas (6) que toda a equipe do Bulls (5). A partida mais frenética das Finais na década.

#3 – Houston Rockets 120 x 118 Orlando Magic (1995 Finals, Jogo 1)

Novamente envolvendo o campeão da temporada anterior, Houston não passava pelos seus melhores momentos. Trouxe a estrela de Portland, Clyde Drexler (23p/11r/7a), para ajudar um velho conhecido: o pivô Hakeem Olajuwon (31p/6r/7a/4b). A campanha ficou marcada com a frase do técnico Rudy Tomjanovich: ‘jamais duvide do coração de um campeão’. A trajetória, com viradas espetaculares e muita superação, levou o sétimo colocado do Oeste contra um jovem e promissor Orlando Magic de Shaquille O’Neal (26p/16r/9a/3b) e Penny Hardaway (26p/5a). Com três pontos de frente (a diferença alcançou a casa dos 20 pontos), Nick Anderson (22p/11r) teve quatro lances livres para dar a vitória a Orlando nos segundos finais e errou todos. O jogo acabou indo para o OT graças a uma cesta milagrosa de Kenny Smith (23p/7-11 3pt/9a). No final da prorrogação, em um raro momento na partida, Olajuwon deu o tapinha crucial para dar a vitória ao Rockets.

#2 – Detroit Pistons 92 x 90 Portland Trail Blazers (1990 Finals, Jogo 5)

PORTLAND, OREGON – 1990: Joe Dumars #4 of the Detroit Pistons dribbles against Clyde Drexler #22 of the Portland Trail Blazers during the 1990 NBA Finals circa 1990 at the Veterans Memorial Coliseum in Portland, Oregon. NOTE TO USER: User expressly acknowledges and agrees that, by downloading and or using this photograph, User is consenting to the terms and conditions of the Getty Images License Agreement. Mandatory Copyright Notice: Copyright 1990 NBAE (Photo by Andrew D. Bernstein/NBAE via Getty Images)

Para quem acredita que os Bad Boys de Detroit era só porrada e jogo sujo, se engana. O time tinha talento, mesmo com a fama negativa. Atual campeão, estava a uma vitória do bicampeonato. A partida foi acirrada até o fim. Com o Blazers abrindo sete pontos nos dois minutos finais, o Pistons contou com um herói improvável: Vinnie Johnson (16 pts). Autor de sete dos últimos nove pontos, incluindo a cesta da vitória que sacramentou mais um título para Motor City. Isiah Thomas (29 pts) e Terry Porter (21p/9a/3s) armaram um ótimo duelo a parte no comando de suas equipes.

#1 – Portland Trail Blazers 93 x 97 Chicago Bulls (1992 Finals, Jogo 6)

Imagina o seguinte cenário: saindo da casa do rival com duas vitórias, recuperando o mando e de repente, em casa, seu time vai perdendo por 15 pontos com mais um quarto para disputar. O que seu time faz? Coloca os reservas! Sim, B.J. Armstrong, Stacey King e Scott Williams são alguns dos responsáveis pela épica virada diante do Portland de Clyde Drexler (24p/8r). Uma superação para quem dava certo o jogo 7. Bulls bicampeão.

Sentiu falta de alguma partida icônica envolvendo as Finais da década de 90? Deixe nos comentários.

Até o próximo capítulo.

Categorias:esporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.